FOGO NA REDE - Por: Diego Mesquita

O Botafogo está bem próximo de anunciar seu novo técnico. Nesta segunda, 10, membros do comitê executivo de futebol do clube almoçaram com Paulo Autuori e o encontro foi considerado positivo pelo Botafogo.

+ Paulo Autuori é apresentado: "Só aceitei porque é o Botafogo"

+ Botafogo mira chapéu no Flu e negocia contratação de artilheiro

Apesar da identificação com o Alvinegro, pelo qual foi campeão brasileiro em 1995, o nome não é unanimidade na cúpula de futebol. No entanto, alguns fatores pesaram para a escolha dele frente aos 30 nomes analisados.

A LISTA

Assim que foi sacramentada a saída de Alberto Valentim do comando técnico do Botafogo , a cúpula executiva do Clube passou a estudar uma lista com aproximadamente 30 nomes. Nela, profissionais estrangeiros e brasileiros — entre os quais Celso Roth, Paulo Bonamigo, Rodrigo Santana, Jair Ventura e, claro, Paulo Autuori.

FATORES DE PESO

A grave crise financeira pela qual passa o Botafogo é de conhecimento geral no mercado brasileiro. Por isso, o comitê descartou investir em um profissional estrangeiro — desejo de boa parte da torcida botafoguense. Segundo um membro da diretoria, um técnico sul-americano não entenderia o momento do Clube.

Por outro lado, um treinador brasileiro além de “ciente” do cenário no Alvinegro, convive ou já esteve próximo desta realidade em outro clube no Brasil.

MONTENEGRO

Descartado o treinador “de fora”, o comitê avançou em profissionais domésticos. A partir daí, a mão de Carlos Augusto Montenegro pesou por Autuori — com o qual tem boa relação desde 1995, quando apostou no profissional desconhecido do mercado nacional.

EXPERIÊNCIA NO JAPÃO

Além de ser o nome preferido de Montenegro, Paulo Autuori se enquadra no teto salarial do Clube e tem passagens pelo futebol do Japão — país de origem de Honda, principal reforço do Botafogo para temporada. O treinador passou pelo país em 2006 (Kashima Antlers) e 2015 (Cerezo Osaka).

Já segue o Botafogo no Instagram? Faça parte da nossa torcida!