DIÁRIO DO PEIXE - Por: Vagner Frederico

O Santos alega não ter qualquer pendência financeira, seja de salários ou direitos de imagem, com o meia Cueva, que pediu a liberação do vínculo com o clube na Fifa. Em contato com o Blog, Pedro Dória, membro do Comitê Gestor do Peixe, garantiu que a reclamação do jogador para justificar o seu pedido é outra.

+ Presidente do Santos crítica o Flamengo e leva invertida de ex-jogador; veja

+ Defensor pode ser negociado pelo Santos

+ Ainda sem jogar em 2020, Aguilar volta a trabalhar com bola

“Ele pede a rescisão alegando que o Santos não o inscreveu no Paulista e que ele foi discriminado pelo clube no ano passado”, explicou.

De acorco com Pedro Dória, o Krasnodar está alinhado com o clube na disputa com o meia.

“Nós temos uma ótima relação com eles e bloqueamos a transferência dele na CBF”, explicou.

O empréstimo de Cueva ao Santos terminou no dia 31 de janeiro. O Peixe tem de fazer o pagamento da primeira das três parcelas pela compra do jogador ao Krasnodar, no valor de US$ 1,3 milhão, até o dia 20 de março. As outras duas parcelas, ambas de US$ 2 milhões, seriam pagas em 2021 e 2022.

Pedro Dória ainda acredita que o Pachuca não irá comprar a briga do jogador pelo boa relação com o Santos. Ele lembra que o Santos emprestou o atacante Copete ao clube mexicano até o meio do ano.

Já segue o Santos no Instagram? Faça parte da nossa torcida!