Com apenas 19 anos, Rodrigo Nestor é visto como a principal promessa do São Paulo para brilhar no profissional em 2020. O volante é visto como a principal promessa do tricolor para brilhar no profissional em 2020. Ele inicia um período de transição para o profissional após disputar a Copinha - não foi titular na competição porque estava com uma tendinite no joelho. Este é seu último ano de base e, por isso, o clube vai começar a aproveitá-lo no profissional.

Rodrigo chegou ao São Paulo em 2014 e pode atuar como segundo volante e meia. Ele é considerado no São Paulo um atleta com boa visão de jogo. Na base, destacou-se mesmo enfrentando garotos um ano mais velhos (ele nasceu no ano 2000 e jogou com jogadores da geração 99).

+ Sampaoli diz que São Paulo precisa de três reforços para ganhar tudo

+ São Paulo pode ter "reforço inesperado" no Campeonato Paulista

+ Veja quanto o São Paulo estima economizar com empréstimos e saídas de jogadores

Na temporada passada ele foi titular em todos os jogos da campanha do título da Copinha, marcou dois gols e chegou a participar de treinos no CT da Barra Funda, mas não estreou no time principal. O atleta canhoto foi convocado pelo técnico Tite para completar treinos da Seleção em maio (ele também tem passagens por seleções de base).

O treinador do time sub-20 do São Paulo, Orlando Ribeiro, já disse que Rodrigo Nestor é “o mais técnico de Cotia”. Em 2020, o técnico Fernando Diniz pretende usar mais garotos. Ele gostou, por exemplo, da atuação do time formado por atletas de Cotia na vitória por 2 a 1 sobre o CSA, na última rodada do Brasileirão.

Rodrigo Nestor começou a jogar bola como muitos outros meninos começam no Brasil: na rua de casa, com chinelos fazendo as vezes do gol. Depois de se destacar em uma escolinha de futebol, entrou no futsal do Juventus, onde ficou até os 12 anos. Nesse período, chegou a fazer testes para entrar no time de campo do Corinthians, mas não passou. Depois, veio a oportunidade no São Paulo.

A versatilidade, por poder atuar como segundo volante ou meia, também foi um ponto em comum. O estilo de Nestor, porém, é mais de organizador, articulando a equipe de trás, apesar de o jovem ter melhorado a chegada à frente recentemente e marcado cinco gols pelo sub-20 no ano passado.

Diniz considera a base são-paulina muito boa. Um exemplo disso é que Shaylon e Brenner, que voltam de empréstimos ao Bahia e Fluminense, respectivamente, vão fazer parte do grupo no início da pré-temporada, no dia 6 de janeiro. Os dois são formados em Cotia (Shaylon iniciou na base da Chape e depois se transferiu ao Tricolor).

Com uma maturação física mais tardia, o jogador perdeu espaço na seleção quando chegou à idade de sub-20. Agora, em seu último ano de base, já iniciará a transição para o profissional e ficará à disposição de Fernando Diniz também para os jogos do time principal. A expectativa é que ele seja inscrito na "lista B" do Campeonato Paulista, reservada para jovens formados no clube.

Veja os títulos de Rodrigo Nestor na base do São Paulo:

Copa São Paulo de Futebol Júnior (2019)
Campeonato Brasileiro de Aspirantes (2018)
Copa do Brasil Sub-20 (2018)
Supercopa do Brasil Sub-20 (2018)
Taça BH Sub-17 (2017)
Campeonato Paulista Sub-17 (2016)
Copa Ouro Sub-17 (2016)
Taça BH Sub-17 (2016)

Fonte: SPFC.net

Já segue o São Paulo no Instagram? Faça parte da nossa torcida!