O volante Rodrigo Nestor, promovido oficialmente hoje ao elenco profissional do São Paulo, é considerado a maior promessa atual da base e grande aposta do clube para o futuro. Mas mesmo sem ser ainda conhecido de grande parte da torcida, ele já viralizou há três anos, quando "profetizou" um título tricolor - ao melhor estilo Hernanes, com quem, inclusive, já foi bastante comparado pelo estilo de jogo.

Foi no intervalo da final da Taça BH, uma das principais competições de base do Brasil, em 2017. O sub-17 do São Paulo perdia para o Flamengo por 1 a 0 no intervalo, quando Nestor, irritado após uma discussão com um adversário, cravou na saída de campo que o time sairia dali campeão. No segundo tempo, a equipe paulista virou para 3 a 1, com dois gols de Brenner (hoje também jogador do profissional) e um do próprio Nestor.

+ Diniz 'sai do script' e dá dura em destaques do São Paulo

+ Fernando Diniz define posição de Daniel Alves e deixa recado aos tricolores

+ São Paulo prepara surpresa na escalação para desafiar Santo André

Este, aliás, está longe de ter sido o único título do meio-campista na base do São Paulo. Da mesma geração de nomes como Brenner, Antony e Helinho, ele também foi campeão da Copa São Paulo de 2019, da Copa do Brasil sub-20 de 2018 e do Brasileiro de Aspirantes de 2018, só para ficar em algumas conquistas. Agora, ele vai reencontrar alguns companheiros de Cotia no time de cima.

COMEÇO NO FUTSAL E DESTAQUE NA BASE

Rodrigo Nestor começou a jogar bola como muitos outros meninos começam no Brasil: na rua de casa, com chinelos fazendo as vezes do gol. Depois de se destacar em uma escolinha de futebol, entrou no futsal do Juventus, onde ficou até os 12 anos. Nesse período, chegou a fazer testes para entrar no time de campo do Corinthians, mas não passou. Depois, veio a oportunidade no São Paulo.

Depois de uma dificuldade inicial de adaptação ao campo, Nestor logo começou a brilhar. Defendeu a seleção brasileira nas categorias sub-15 e sub-17 e se consolidou como um meio-campista de bom passe e visão de jogo, características que logo despertaram as primeiras comparações com Hernanes.

A versatilidade, por poder atuar como segundo volante ou meia, também foi um ponto em comum. O estilo de Nestor, porém, é mais de organizador, articulando a equipe de trás, apesar de o jovem ter melhorado a chegada à frente recentemente e marcado cinco gols pelo sub-20 no ano passado.

Visto internamente como o jogador mais promissor que estava na base, Nestor já estava nos planos do clube para ser promovido ao profissional após a Copa São Paulo de 2020, a última que ele tinha idade para jogar. O volante, porém, atuou pouco e não foi titular na competição, por estar se recuperando de uma tendinite no joelho. O São Paulo caiu nas quartas de final.

Com uma maturação física mais tardia, o jogador perdeu espaço na seleção quando chegou à idade de sub-20. Agora, em seu último ano de base, já iniciará a transição para o profissional e ficará à disposição de Fernando Diniz também para os jogos do time principal. A expectativa é que ele seja inscrito na "lista B" do Campeonato Paulista, reservada para jovens formados no clube.

Fonte: UOL Esporte

Já segue o São Paulo no Instagram? Faça parte da nossa torcida!