Depois que o Cruzeiro liberou Dedé para assinar com algum clube da China, essa foi a chance de ouro do jogador. No entanto, após o prazo estipulado pelo clube, os empresários do atleta não conseguiram fechar com nenhum time antes que a janela de transferências terminasse.

Como o tempo chegou ao fim, a Raposa pediu o retorno do jogador, que deveria ter se reapresentado nesta quarta-feira, 5. No entanto, Dedé não apareceu na Toca da Raposa como havia combinado com os dirigentes Cruzeirenses.

+ Carlos Ferreira promete mais reforços para a torcida do Cruzeiro

+ Adilson Batista aponta erros do time e revela 'rombo' no Cruzeiro

+ Após Marcelo Moreno, diretoria do Cruzeiro formaliza interesse para repatriar outro atacante

Até o momento, nem o jogador nem mesmo seus representantes entraram em contato com o clube mineiro para explicar o motivo do "sumiço" e o Cruzeiro continua tentando contato com Dedé.

A volta do zagueiro para o clube era para continuar com as negociações da sua saída, já que Dedé não aceitou reduzir seu salário, cerca de R$ 700 mil mensais, para se adequar ao teto estabelecido pelo Cruzeiro.

Sua ida para a China era o caminho mais viável encontrado pelo jogador e o clube, porém, o surto de coronavírus no país pode ter sido um dos motivos pelos quais o negócio não deu certo e a rescisão de contrato entre clube e jogador foi travada.

Antes de iniciar esse caminho a China, o Vasco demonstrou interesse em contratar Dedé, mas a alta pedida salarial do atleta junto com a crise financeira do clube carioca, não permitiram um avanço.

Dedé está no Cruzeiro desde 2013 e vive um momento de desgaste com a torcida e o clube desde que foi rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Fonte: SportBuzz

Já segue o Cruzeiro no Instagram? Faça parte da nossa torcida!