O presidente Andrés Sanchez revelou nesta terça-feira que o empresário de Ralf foi avisado em novembro que o volante não permaneceria no Corinthians. Em entrevista exclusiva ao FOX Sports, o mandatário do Timão comentou sobre a saída do atleta de 35 anos do clube, apontando que as partes estão próximas de um acordo pela rescisão de contrato.

Foi avisado em novembro que, infelizmente, não interessava para o treinador. Se eu interfiro no treinador, é porque eu estou me metendo no treinador. Se eu deixo o treinador fazer o que quer, é porque o treinador faz o que quer. Se renova o Danilo, é um asilo, era melhor dar uma placa, uma camiseta, festejar o Danilo. Não, é uma casa de asilo. Tira o Ralf, é um absurdo tirar o Ralf. Reclamam de tudo”, disse.

+ Ralf dispara após saída do Timão: "Fui tratado como qualquer um"

+ Por que reforços Cantillo e Viña só foram registrados por seis meses na CBF

+ Love elogia ousadia de Tiago Nunes e brinca sobre Paulinho voltar ao Corinthians

Para concretizar o fim do vínculo de Ralf com o Corinthians, tanto o clube quanto o atleta precisaram ceder. O Timão terá que pagar os salários do jogador até o fim do contrato, que era válido até dezembro de 2020.

“Por lei, é obrigado a pagar o contrato inteiro. Se o jogador não abrir mão de nada, tem que se pagar o contrato 100%. Isso é lei. O Ralf não abriu mão de férias, de décimo terceiro, de fundo de garantia. E fizemos um acordo que ele tem mais ou menos R$ 3,5 milhões para receber e receberá em 24 vezes, só isso”, afirmou o presidente do Corinthians.

Com diversas mudanças no elenco em relação a 2019, o Corinthians estreia no Campeonato Paulista na próxima quinta-feira, diante do Botafogo-SP.

Fonte: Fox Sports

Já segue o Corinthians no Instagram? Faça parte da nossa torcida!