O futuro de Rony ainda não foi decidido puramente por causa de uma divergência entre Athletico-PR e os profissionais que gerem a carreira do jogador. Corinthians e Palmeiras são os maiores interessados na contratação do atleta de 24 anos. A Gazeta Esportiva obteve informações exclusivas e traz detalhes dessa polêmica negociação que deve ser concluída até o fim desta semana, para o bem ou para o mal.

CORINTHIANS X PALMEIRAS

- Renato Augusto é oferecido ao Grêmio, negociações estão em andamento

- Após pedida alta, Flamengo recua e fica mais distante de contratar Daniel Muñoz

- FIM DA NOVELA: Palmeiras anuncia a contratação de Rony!

O Corinthians evita ao máximo se expor por ciência da dificuldade do negócio e por receio do que uma nova frustração na torcida pode gerar de pressão em cima da diretoria de futebol depois do caso Michael, mas o clube do Parque São Jorge foi, de fato, o primeiro a abrir conversa para tentar adquirir Rony, isso antes mesmo da virada do ano. Luis Augusto Carvalho, o Luisinho Piracicaba, é o intermediário nas tratativas.

O Palmeiras chegou depois e por meio de Anderson Barros, diretor de futebol do clube alviverde, sem a mesma cautela.

A DIFERENÇA DAS PROPOSTAS

Tanto Corinthians quanto Palmeiras estão dispostos a arcar com 6 milhões de euros por 50% dos direitos de Rony. O salário do atacante também seria o mesmo nos dois clubes, praticamente o triplo do que o jogador recebe atualmente, e com validade de quatro temporadas. Nestes quesitos, as tratativas caminham idênticas.

A diferença é que o Palmeiras topa pagar 500 mil dólares de luvas, uma espécie de premiação pela assinatura do contrato, muito comum nestes casos, e também cogita envolver um jogador de seu elenco na negociação.

O Corinthians, por ora, não propôs pagamento de luvas e, sem isso, dificilmente conseguirá levar o jogador. A situação pode mudar, mas a cautela é realmente grande pelo lado alvinegro, que sequer colocou a proposta na mesa até agora, tudo segue no campo da conversa. A proposta do Palmeiras já é oficial.

Segundo apuração do FOXSports.com.br, o Athletico quer pagar ao estafe de Rony e ao atacante R$ 1 milhão em caso de uma negociação com outro clube. Tal valor, no entanto, iria na contramão de um acordo que teria sido firmado entre os estafe do jogador e a diretoria atleticana na época da contratação do atleta. Esse acordo, ainda segundo tomou conhecimento o FOXSports.com.br, contaria com o pagamento de 50% do valor total de uma futura venda ao atacante.

Esse acordo não consta no atual contrato do atacante com o Athletico, e teria sido firmado em uma espécie de 'acordo de cavalheiros' entre o empresário do atleta e Mario Celso Petraglia, atual presidente do Conselho Administrativo. Neste momento, o clube paranaense se recusa a fazer tal pagamento. Sem acordo, o jogador já teria se negado a renovar contrato com o clube, um dos desejos do Furacão para seguir adiante nas negociações com outros clubes para a saída de Rony.

Por 'retaliação', o Athletico-PR colocou Rony no time de aspirantes e aguarda uma diminuição na pedida por parte do estafe do atacante para dar sequência às negociações de venda. Por outro lado, os responsáveis pela carreira de Rony descartam abrir mão do valor, e não têm pressa na 'queda de braço' com o clube.

De acordo com a apuração do FOXSports.com.br, o Athletico Paranaense pede 12 milhões de euros, algo em torno de R$ 48 milhões, pelo atacante. A dívida de 10 milhões de dólares, cerca de R$ 40 milhões, são de responsabilidade apenas do clube do Paraná e não será estendida ao clube que ficar com o atacante.

Fonte: Fox Sports