Hudson não se reapresentara ao São Paulo nesta quarta-feira (8 de janeiro). O jogador foi liberado pela diretoria do clube para negociar seu futuro. A expectativa é que o destino do camisa 25 seja o Fluminense, que tenta trazê-lo por empréstimo.

- Edílson fiz que Flamengo não ganhará nada em 2020

- Grêmio monta operação para fechar com 2 últimos reforços

- Abel Braga se empolga com atacante nesse início de temporada

Com contrato até dezembro de 2021, Hudson perdeu espaço no elenco nesta última temporada e, quando jogou, acabou improvisado na lateral direita por falta de opções. Tentando retomar sua carreira como volante, buscando protagonismo, o jogador vê com bons olhos a oportunidade de defender o Fluminense.

Pelo lado do São Paulo, a saída do jogador também é considerada um bom negócio. Hudson tem um salário consideravelmente alto, e em 2020 a diretoria busca enxugar a folha salarial da equipe, até por conta do alto déficit registrado ao fim de 2019 (R$ 180 milhões).

O staff de Hudson, o Fluminense e o São Paulo agora buscam um formato de negócio que seja benéfico para todas as partes. O Tricolor carioca, em sérias dificuldades financeiras, busca uma composição salarial para viabilizar a transferência do volante.

Com a iminente saída de Hudson, o técnico Fernando Diniz terá nesta pré-temporada Luan, Liziero, Tchê Tchê e Jucilei como opções para exercer o papel de volante. O jovem Diego, campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2019, é outra alternativa. Desses, Jucilei é o único que também pode deixar o Tricolor pela falta de oportunidades, embora o comandante são-paulino até tenha testado o jogador em algumas ocasiões, sem sucesso.

Fonte: Gazeta Esportiva