(Foto: Reprodução da Internet)

Bota na agenda: menos de um mês e meio para a Copa América!

Anota na agenda, torcedor brasileiro. Falta um pouco menos de um mês e meio para a estreia da Seleção Brasileira na Copa América 2019, não esqueça aliás de conferir os melhores sites de apostas Copa América 2019. O primeiro jogo da equipe comandada por Tite acontece no dia 14 de junho, diante da Bolívia, no estádio Morumbi, em São Paulo.

A grande expectativa nas próximas semanas irá girar em torno da lista de convocados. Os nomes não devem serem conhecidos antes do dia 17 de maio, quando o técnico Tite anunciará os 23 nomes finais na sede da Confederação Brasileira de Futebol, no Rio de Janeiro.

Antes disso, no dia 14, a CBF precisa para a Conmebol uma enviar pré-lista, com 40 atletas, aos quais a entidade dificilmente irá revelar os nomes – estratégia semelhante a utilizada em 2018 para a Copa do Mundo, onde a CBF não divulgou a lista de suplentes, mas alguns nomes acabaram vazando pelo fato de que os mesmos não poderiam defender seus clubes durante o período. O prazo máximo para o envio da lista final com os 23 nomes é no dia 30.

Há algumas dúvidas que giram em torno da lista, tais como a presença do zagueiro Thiago Silva, em recuperação de lesão no Paris Saint-Germain e as laterais, já que Tite conta geralmente com três opções para cada lado: Daniel Alves, Danilo e Fagner pela direita e Filipe Luís, Alex Sandro e Marcelo na esquerda. A presença de Neymar na lista não é sequer questionada, mas a sua faixa de capitão sim. A agressão a um torcedor na derrota do clube da capital francesa na final da Coupe de France, contra o Stade Rennais, será motivo de reuniões por parte do alto escalação da Seleção Brasileira, segundo informações do portal ‘Globoesporte.com’.

Além da Bolívia, a Seleção Canarinho os outros dois desafios na fase de grupos são diante da Venezuela, no dia 18 de junho, na Arena Fonte Nova, em Salvador e o Peru, quatro dias depois, novamente em São Paulo, mas desta vez na Arena Corinthians.

No grupo B, a Argentina tem pela frente a Colômbia, o Paraguai e o Qatar, um dos países convidados pela Conmebol, ao lado do Japão, no grupo C, que ainda conta com Uruguai, Equador e o atual bicampeão Chile.

A Seleção Brasileira busca o seu nono título de Copa América e mais do que a taça no armário, a conquista tende a dar tranquilidade e continuidade para o técnico Tite rumo a Copa de 2022. Uma derrota na competição continental pode significar uma mudança de planos e troca no comando da pentacampeã mundial.

A conquista ainda quebraria um jejum incômodo: desde 2007, quando bateu a Argentina por 3 a 0, a equipe não conquista a competição, não chegando sequer na decisão. De lá pra cá, o Uruguai derrotou o Paraguai e o Chile buscou suas duas taças diante da Argentina, em 2015 e 2016. Uruguai e Argentina, aliás, que são os maiores campeões da competição, com 15 e 14 conquistas, respectivamente.