(Foto: Reprodução da Internet)

CAMINHÃO DE DINHEIRO! Receitas da TV para competições nacionais vive salto 'surreal' em dois anos

A reorganização financeira de algumas potências nacionais, como ​Palmeiras e ​Flamengo, pode ser explicada por diversos fatores. Um deles, certamente, é o crescimento das receitas oriundas da TV. Nos últimos dois anos, houve um 'boom' nos valores pagos pela televisão aos clubes brasileiros, dados os reajustes nos contratos referentes ao Brasileirão, Sul-Americana, Libertadores e Copa do Brasil.

​​De acordo com o ​Blog do Rodrigo Mattos, ao somar todos os reajustes, houve um crescimento de R$ 1,4 bilhão nos valores pagos pela TV, pelas competições disputadas por clubes brasileiros nos últimos dois anos. É claro que nem toda a receita é distribuída às agremiações nacionais: na Libertadores e na Sul-Americana, a Conmebol retém 40% do total. Na Copa do Brasil, a CBF segura 20% de comissão do contrato.

Mesmo com tais comissões, a tendência é que os clubes brasileiros, em especial aqueles que disputam as competições de mata-mata até suas fases finais, concentrem as maiores premiações. Este movimento já vem acontecendo nas últimas temporadas, ​por isso o abismo cada vez maior entre os clubes no 'topo esportivo' (campeões/finalistas/semifinalistas) para os demais clubes.

Para se ter uma ideia, o contrato do Brasileirão movimentou R$ 1,5 bilhão em 2018, valor que deve saltar para R$ 2 bilhões em 2019, mesmo com a concorrência de outras emissoras. As competições continentais, antes defasadas nos valores, passaram por reajuste de contrato e ultrapassarão os R$ 1,3 bilhão nesta temporada. O contrato da Copa do Brasil entre Globo e CBF valia R$ 100 milhões em 2017, valor mais que triplicado para 2018: R$ 325 milhões.

90min



Últimas