(Foto: Reprodução da Internet)

Reserva e sem empresário, Rodrigo Caio espera oferta para sair do São Paulo

A situação de Rodrigo Caio no São Paulo mudou nesta temporada. Antes considerado peça importante no time e principal ativo do clube no mercado da bola, o zagueiro perdeu o status de titular. De quebra, não renovou o acordo que tinha com o empresário Carlos Leite e, ao menos por enquanto, gerencia a própria a carreira ao lado de familiares.

Para pessoas próximas, o jogador, de 25 anos, já confessou o desejo de acertar a sua transferência para o exterior. O clube também entende que seja oportuno trabalhar a imagem do zagueiro para negociá-lo quando for aberta a janela para os principais países da Europa, no fim deste ano. Uma negociação seria importante para o Tricolor conseguir reforçar o seu caixa.

QUER SABER MAIS SOBRE O SÃO PAULO? CLIQUE AQUI.

Na última semana, o zagueiro teve o seu nome especulado no Milan, da Itália. Segundo apurou o UOL Esporte, o clube italiano não entrou em contato com jogador ou com o São Paulo neste momento. Porém, em agosto, o executivo de futebol do São Paulo, Raí, conversou com o amigo e dirigente do Milan, Leonardo. Apesar de o ex-lateral esquerdo do Tricolor elogiar o zagueiro, naquela ocasião ele não se mostrou disposto a investir no brasileiro.

Também neste ano, o Lyon, da França, chegou a entrar em contato com representantes do jogador para fazer uma sondagem, mas uma proposta não foi formalizada ao São Paulo. Tal situação contrasta com o que Rodrigo Caio viveu nas últimas janelas de transferência. Valorizado e com status de jogador de seleção brasileira, o defensor recebeu diversas ofertas do exterior em outros anos.

Em 2015, ele chegou até a se despedir dos colegas de Tricolor, a viajar para a Espanha e a fazer exames médicos para fechar com o Valencia ou com o Atlético de Madrid. Já no ano passado, o Zenit acenou com uma proposta milionária, e o zagueiro chegou a ser liberado da concentração para o clássico com o Santos, mas os russos não depositaram o valor combinado, e ele acabou retornando ao time e jogando na Vila Belmiro. Já no início desta temporada, recebeu proposta do Real Sociedad, mas, com a esperança de disputar a Copa do Mundo, preferiu ficar no Morumbi.

Reserva e barganha

Como era de se esperar, o zagueiro não está feliz por ficar no banco de reservas. Na disputa interna por uma vaga como titular do São Paulo, Bruno Alves, Anderson Martins e Arboleda hoje estão à frente de Rodrigo Caio. O defensor, porém, mantém uma conduta exemplar nos treinamento e tem se esforçado no dia a dia.

O jogador perdeu espaço no time por causa de lesão. Fora da lista de convocados de Tite, ele passou por cirurgia no pé esquerdo em maio após lesão no empate com o Ceará, ainda no primeiro turno do Campeonato Brasileiro, no dia 22 de abril. Quando se preparava para voltar à equipe, levou uma pancada no joelho direito durante um jogo-treino com o Nacional, no dia 27 de agosto. Desta maneira, só voltou a atuar no dia 22 de setembro, no empate com o América-MG.

Por causa destas lesões e da disputa interna, ele só entrou em campo em 22 partidas neste ano. Até mesmo pela situação atual do defensor, o Tricolor deve aceitar fechar o negócio por um valor abaixo da multa estipulada em contrato. No ano passado, o clube bateu o pé para receber 18 milhões de euros do Zenit.

Conteúdo publicado originalmente no site www.Esporte.UOL.com.br

RECEBA NOTÍCIAS DO SÃO PAULO DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!

Mais sobre - São Paulo