(Foto: Reprodução da Internet)

Barcos revela bastidores de saída do Palmeiras: "Fiquei quieto por respeito ao clube"

Hernán Barcos hoje é jogador do Cruzeiro, mas parte de sua história no futebol brasileiro está ligada à sua passagem pelo Palmeiras. E também de sua saída conturbada do clube, trocado com o Grêmio por quatro jogadores. Uma negociação que ainda tem repercussões.

O atacante da Raposa deu entrevista ao SporTV nesta semana e comentou os bastidores da transferência, feita por Paulo Nobre pouco depois deste assumir a presidência do clube. Uma negociação a qual ainda se sente incomodado.

QUER SABER MAIS SOBRE O PALMEIRAS? CLIQUE AQUI.

“Terminou o ano de 2012, tinha ido para a seleção (da Argentina). Terminou 2012 e decidi ficar no Palmeiras em 2013. Até aí, tudo normal. Jogamos numa quarta-feira, primeiro ou segundo jogo do Paulistão, depois do jogo, me disseram que eu tinha que falar na quinta com o (dirigente do Grêmio na época) RuI Costa. Não queria sair, estava bem no Palmeiras, não queria sair”, declarou Barcos.

Barcos critica saída e Nobre: “Me xingam até hoje”

O ‘Pirata’ afirmou que a troca o incomodou, mas afirmou entender a motivação dada por Nobre de que não havia como pagar os seus salários no clube na época, mesmo depois de ser destaque na campanha que rebaixou o Verdão para a Série B. Mas Barcos voltou a afirmar que a saída segue ‘engasgada’.

“Me disseram depois que tinham aceitado a proposta, que vinham atletas do Grêmio. Falaram que era para falar que era comum acordo, bom para mim. No meio da semana, o presidente disse que eu queria sair. Fiquei meio bravo. Na época, o presidente (Paulo Nobre) foi sincero e disse que não poderia pagar o meu salário. Nunca tive esse problema, no Grêmio, no Palmeiras e nem aqui no Cruzeiro. Ele disse que não podia pagar, eu entendi a situação”, disse o atacante.

“Foi bom ter ido para o Grêmio, mas fiquei ruim pela saída do Palmeiras. O combinado é uma coisa e se fala outra. Normalmente, é o atleta que se complica nessa hora. Na hora, não quis falar, por respeito ao Palmeiras. Não ao presidente, mas ao clube. Me xingam até hoje e continuam me xingando”, declarou.

Depois da passagem pelo Grêmio, chegou a passar por outros times até chegar ao Cruzeiro, onde foi campeão da Copa do Brasil.

Conteúdo publicado originalmente no site www.Torcedores.com

RECEBA NOTÍCIAS DO PALMEIRAS DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!

Mais sobre - Palmeiras