(Foto: Ivan Storti / Santos)

Bryan Ruiz cresce no Santos com "liberdade de Cuca" e evolução física

Após a polêmica envolvendo o técnico Cuca e o presidente José Carlos Peres por conta da escalação de Bryan Ruiz, o costarriquenho "ressuscitou" no Santos. Foram dois jogos desde então, contra Internacional e Fluminense. Mesmo entrando no decorrer da partida, ele conseguiu se destacar pela primeira vez no futebol brasileiro.

O UOL Esporte conversou com profissionais do clube paulista para saber o motivo da evolução de Bryan Ruiz, que já era cogitado como atleta negociável em 2019. Eles alegam que o costarriquenho aumentou a carga de trabalho físico e recuperou a sua autoestima com ótimo desempenho nos treinos táticos e jogos-treinos.

QUER SABER MAIS SOBRE O SANTOS? CLIQUE AQUI.

Na semana passada, o meia marcou cinco gols e foi responsável por duas assistências em atividade entre os reservas no CT Rei Pelé.

Em relação à escalação de Bryan Ruiz, segundo os profissionais do clube, o costarriquenho atua em sua posição de origem no Santos. Em treinos e jogos, ele joga como meia centralizado nas duas linha de quatro da equipe, posicionamento adotado quando o time se defende em campo, mas o diferencial é a liberdade que Cuca concede ao jogador.

O treinador dá liberdade para que Bryan Ruiz "flutue" no meio-campo. A estratégia pôde ser vista na vitória por 3 a 0 sobre o Fluminense, no último sábado, na Vila Belmiro, quando o meia da seleção da Costa Rica caía pelos lados do campo para realizar triangulações com os companheiros.

Vale lembrar que a polêmica entre Peres e Cuca se deu pois o presidente santista disse que o meia jogava fora de sua posição e, por isso, não rendia em campo.

"Todos os jogadores querem jogar. E como todos estão mantendo um bom nível, fica difícil para o professor Cuca escolher os titulares. Mas isso é ótimo, pois deixa claro que nosso grupo é muito forte. Estou muito feliz com os minutos que tenho conquistado nos últimos jogos, isso mostra que o professor tem confiança em mim", disse Ruiz, ao site oficial do clube.

"Acredito que posso fazer muito mais pelo clube. Mas o mais importante é que todos os atletas estão nas melhores condições para ajudar o Santos FC. Temos um grupo com ótimos jogadores, e a concorrência é grande. Sempre procuro fazer o melhor nos treinos para ajudar quando for solicitado, seja por 90, 20 ou 15 minutos", completou.

Bryan se destacou contra o Fluminense ao participar diretamente de dois dos três gols santistas. Ele cobrou falta para o gol de Victor Ferraz e iniciou o lance do gol de Carlos Sánchez. O costarriquenho só atuou em 12 partidas pelo Santos, e foi titular em apenas duas. Ele não marcou nenhum gol e foi responsável por duas assistências.

Conteúdo publicado originalmente no site www.Esporte.UOL.com.br

RECEBA NOTÍCIAS DO SANTOS DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!

Mais sobre - Santos