Sem Arrascaeta, com Rafinha: meio-campo do Cruzeiro muda sua dinâmica

(Foto: Reprodução da Internet)

​Ao longo da temporada, principalmente após a conquista do Campeonato Mineiro, o meio-campo do ​Cruzeiro se consolidou sendo formado, em sua linha mais ofensiva, por De Arrascaeta, Thiago Neves e Robinho. Com isso, Rafinha, que vinha sendo titular até então, passou a ser opção de banco. Só que, com a ausência do uruguaio ao menos para a partida de ida da final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, diante do ​Corinthians, ele mais uma vez será a opção do técnico Mano Menezes (a menos que ocorra uma grande surpresa). Mas esta alteração faz com que a dinâmica do setor sofra, também, algumas mudanças naturais.

Rafinha rende mais atuando pelo lado direito e, por consequência, faz com que seus companheiros troquem de posição. Robinho, normalmente o responsável por atuar pela direita, passa a ficar mais centralizado, e Thiago Neves vai para a esquerda. Obviamente, até para confundir a marcação, existe a liberdade para uma troca de posição, mas o retrato para iniciar o confronto é este.

QUER SABER MAIS SOBRE O CRUZEIRO? CLIQUE AQUI.

Nas últimas decisões disputadas pelo Cruzeiro, contra Palmeiras (semifinal da Copa do Brasil) e Boca Juniors ( quartas de final da Libertadores), Rafinha só ficou no banco no duelo de volta contra os argentinos, no Mineirão. Na ocasião, De Arrascaeta se recuperou de dores na coxa e conseguiu sair jogando. Agora que está a serviço da seleção uruguaia, corre o risco, também, de perder o segundo confronto frente ao Timão, dia 17, em Itaquera. No momento, ele está na Ásia para a disputa de amistosos e depende da boa evolução física e, também, da logística de viagem para atuar na capital paulista. Com isso, uma responsabilidade maior ainda pode recair sobre os ombros de Rafinha.

Conteúdo publicado originalmente no site 90min

RECEBA NOTÍCIAS DO CRUZEIRO DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!