Palmeiras mantém fôlego após eliminação e comemora Felipão como escudo

(Foto: Reprodução da Internet)

O Palmeiras manteve o fôlego e mostrou que a eliminação na Copa do Brasil não trouxe a instabilidade temida por diretoria e torcida. Um dos elementos citados para que a paz fosse mantida foi a ação de Luiz Felipe Scolari.

O comandante sofreu bem menos pressão pelo revés para o Cruzeiro do que seus antecessores. Eduardo Baptista e Roger Machado balançaram bastante após quedas em mata-mata, e até Cuca precisou enfrentar a rebelião de Felipe Melo em uma briga nos vestiários pós-eliminação.

QUER SABER MAIS SOBRE O PALMEIRAS? CLIQUE AQUI.

O rodízio no elenco foi apontado como um dos fatores para a manutenção da boa fase, já que parte do grupo sente menos os efeitos dos desgastes físico e emocional de uma competição como a Copa do Brasil.

Outro fator fica por conta da experiência dos jogadores que começam a se acostumar com a pressão constante por resultados positivos. Em 2017, a cobrança excessiva foi apontada como um dos motivos dos fracassos.

Com as vitórias no Brasileirão, o time manteve a impressionante arrancada no segundo turno, com mais de 80% de aproveitamento. Além disso, chegou a uma rodada crucial nos últimos campeonatos como o primeiro colocado.

Desde 2012, quem está na primeira colocação na 28ª rodada foi campeão. Com um saldo de gols bem maior que o Internacional, o Alviverde deve manter essa posição por pelo menos mais uma rodada, mesmo em caso de derrota para o Grêmio, no próximo domingo (14).

Com duas semanas inteiras para treinar com apenas dois jogos, o Palmeiras procura o balanço ideal entre poupar e manter o ritmo. Contra o Grêmio, o time pode ter mais titulares por conta dos dez dias de descanso até o jogo contra o Boca Juniors. Já na outra rodada, contra o Ceará, o time deve ser poupado por estar perto da partida de ida da semifinal da Libertadores.

Conteúdo publicado originalmente no site UOL Esporte

RECEBA NOTÍCIAS DO PALMEIRAS DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!