Cássio considera Cruzeiro mais qualificado, mas reforça vontade do Corinthians

(Foto: Reprodução da Internet)

Na próxima quarta (10), Cruzeiro e Corinthians se enfrentam na primeira final da Copa do Brasil. Em entrevista coletiva realizada nesta terça-feira de manhã no Mineirão, o goleiro Cássio revelou que considera a Raposa mais qualificada tecnicamente, mas que o alvinegro sempre demonstrou muita vontade e merece estar na decisão.

“Acho que em uma final, se você for ver o peso das duas camisas, são duas grandes equipes, os times que mais vêm ganhando títulos nos últimos anos. Se for ver por qualificação, a equipe do Cruzeiro é mais qualificada tecnicamente, pode ser melhor que o Corinthians, mas quando fomos campeões, teve outro espírito. Se for ver o histórico, tem muitos títulos na vontade, na dedicação. Vamos nessa maneira novamente. É uma equipe qualificada, que chegou na vontade. Os dois são merecedores de estar na final. É difícil falar de favoritismo”, disse o arqueiro.

QUER SABER MAIS SOBRE O CORINTHIANS? CLIQUE AQUI.

Fábio, ao lado de Cássio, disse que agora tudo está zerado e o título será decidido nos detalhes. “No meu ponto de vista, as duas equipes, pela grandeza, pela tradição vencedora, zeram tudo o que foi feito antes e são dois jogos nos quais as duas equipes têm de mostrar o melhor futebol para concretizar o título. Equilibra muito. Tudo vai ser colocado à prova dentro desses dois jogos. Acho que quem tiver o melhor equilíbrio, fluir de uma forma mais equilibrada, com certeza vai conquistar o título”, falou.

O goleiro alvinegro concordou. “São duas equipes de camisas, com grandes títulos, histórias. Quantos menos erros você tiver, mais efetivo for, maior a chance de ser campeão”.

Cruzeiro e Corinthians se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Mineirão. A grande decisão será uma semana depois, dia 17, na Arena Corinthians, no mesmo horário.

Veja outros trechos da coletiva:

Postura em campo
“Isso é com o professor Jair. Já sabemos mais ou menos como vamos enfrentar o Cruzeiro, o professor tem passado como vai ser a mentalidade, mas isso é com ele, não adianta antecipar como a gente vai trabalhar”. No primeiro jogo da semifinal contra o Flamengo, a equipe foi criticada após a entrada com três volantes e menor posse de bola, além da ausência de chutes a gol. Mesmo assim, a vaga foi conquistada. “Agora está todo mundo ciente da maneira que enfrentaremos o Cruzeiro”, completou.

Experiência “copeira” de Fábio
“É sempre importante, por ter vivenciado várias situações de bastante dificuldade. A expectativa é como se fosse a primeira (final). Isso gera uma confiança e um exemplo a ser seguido. Mas estamos cientes de que em finais tudo se faz novo. Tem de fazer por onde, concretizar um bom trabalho, ter um rendimento bom, sobressair em cima do adversário e ter o resultado positivo, que é o nosso objetivo. Ciente de todas as dificuldades que vamos ter, mesmo no Mineirão, para buscar um título tão importante”.

Fábio ainda falou sobre a dificuldade de jogar em São Paulo (onde acontecerá a grande decisão, no dia 17). “Jogar em São Paulo é sempre difícil, independentemente da competição. Esperamos que possamos fazer por onde e conquistar um belo resultado para ter mais tranquilidade lá”.

Pressão
Na última sexta-feira, o Corinthians perdeu para o Flamengo por 3 a 0 diante de sua torcida, mas Cássio disse que a pressão pelo resultado vem dos dois lados. “A pressão é dos dois, é uma final. São duas equipes grandes e jogar em equipe grande no futebol brasileiro é uma pressão grande. Ficamos chateados pela derrota de 3 a 0, mas tem que superar, em outros momentos vínhamos de vitórias e não nos empolgamos”.

Desfalques
Pelo lado do Corinthians, Fagner deverá estar na lateral direita na primeira partida contra o Cruzeiro, mas caso não possa jogar, Cássio disse confiar em quem entrar. “O Fagner é um jogador importante, que está há muito tempo no clube, vitorioso e experiente, o que conta muito nesses momentos. Se ele não estiver apto, temos confiança em quem entrar no lugar dele, mas se ele tiver condições de jogar será importante, vai nos ajudar bastante”.

Já a Raposa não poderá contar com De Arrascaeta, a serviço da seleção uruguaia. “A situação não foi favorável ao Cruzeiro. O clube sempre sai prejudicado dentro dessa situação, por não ter a possibilidade de ter o jogador. A coerência seria a melhor forma da seleção uruguaia. Ficamos tristes por não ter a oportunidade de não contar com ele, mas cientes de que o clube tem jogadores para a posição. Estamos bem tranquilos. O Mano tem total confiança em todos os jogadores e o grupo também”, finalizou sobre o assunto.

Troca de elogios
Já no final da coletiva, os goleiros trocaram elogios entre si. Fábio, que está à frente do gol do Cruzeiro há 13 anos, é uma referência para Cássio. “Eu respeito muito o Fábio, ele tem uma história bonita. Tem jogadores que são vitoriosos um ou dois anos, mas por muitos anos é difícil. Ele é uma referência para mim, jogando há tanto tempo em alto nível. Depois a gente vai ver quantos títulos ganhou, não se empolga com conquistas. Isso acontece muito com jogador novo, se empolga com título e depois acaba perdendo o foco”, disse.

Fábio retribuiu a gentileza. “O Cássio é uma referência dentro da posição pela dedicação que teve, no momento em que entrou no Corinthians, quando alguns goleiros não tinham tido bom rendimento. E conseguiu mostrar seu potencial pela dedicação do dia a dia, aliada à qualidade”, finalizou.

Conteúdo publicado originalmente no site Gazeta Esportiva

RECEBA NOTÍCIAS DO CORINTHIANS DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!