Erik e Maxi López guiam os ataques de Botafogo e Vasco contra a degola

(Foto: Reprodução da Internet)

Apesar de terem sido finalistas do Campeonato Carioca, o ano de Botafogo e Vasco não é positivo. Mas nesta terça-feira, estarão em campo dois dos responsáveis por aumentarem a esperança de um final (dentro do possível) feliz para as equipes: os atacantes Erik, de um lado, e Maxi López, do outro.

O segundo foi comprado junto à Udinese. O primeiro, emprestado pelo Palmeiras, foi repassado pelo Atlético-MG. E aumentou consideravelmente o volume ofensivo do Glorioso desde que estreou. Não pôde jogar na última quarta-feira, pela Copa Sul-Americana, mas espera continuar importante.

- Verdade. Muita coisa aconteceu, muita coisa boa. Para mim e para os companheiros. Quando cheguei, era momento de turbulência. Não cheguei para ser o salvador de tudo, mas para dar o meu melhor, honrar essa camisa, esse escudo. As coisas foram acontecendo, com trabalho, e a gente vem em evolução. Que a gente possa ficar nesse caminho - prega.

No caso do argentino, ele tem participação direta em 77,7% dos nove gols marcados pelo Vasco nos dez jogos em que ele esteve em campo desde que chegou. Referência decisiva para o Cruz-Maltino tentar escapar da zona de rebaixamento neste Brasileirão.

- Eu penso jogo após jogo. Não quero pensar tanto lá frente, começar a mexer na calculadora para ver pontos. Temos que nos concentrar sempre no próximo jogo, pois ele é o mais importante. Nesse momento, não podemos pensar no futuro. Vou ajudar e acho que o time tem tudo para crescer. A nossa briga continua, ainda temos muitos jogos pela frente. Vencendo este próximo jogo, nós ficaremos lá em cima, mais tranquilos - almeja Maxi.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance