Opções não faltam! Aguirre precisa definir reposição para a lateral

(Foto: Reprodução da Internet)

Contratado em abril após defender o São Bento no Campeonato Paulista, Régis teve vida curta no ​São Paulo. O clube optou pela rescisão contratual do atleta depois de o atleta apresentar reincidência em problemas extracampo - depressão, que leva à dependência química. Embora não descarte a volta do jogador no futuro, o clube tem duas preocupações imediatas: ajudar o profissional na sua recuperação e, também, tratar de encontrar um substituto para ele dentro do elenco.

Régis era o reserva imediato de Bruno Peres na lateral direita e, por conta de sua saída, o técnico Diego Aguirre para a não ter outro jogador de ofício para a posição. Assim, existem, basicamente, duas saídas: dar chance a alguém da base ou improvisar algum nome mais experiente no setor.

QUER SABER MAIS SOBRE O SÃO PAULO? CLIQUE AQUI.

Rodrigo Caio, por exemplo, foi lateral-direito em 2012 sob o comando de Emerson Leão, embora não se sentisse muito à vontade. Recentemente, cumpriu a mesma função no empate em 1 a 1 com o América-MG. No clássico contra o Santos, Arboleda também foi testado, mas não teve boa performance ao apresentar dificuldades no apoio e deixar o corredor aberto para os avanços de Rodrygo por conta de sua vocação para zagueiro nas horas de defender. Outra opção seria deslocar o volante Hudson. Ali, já foi improvisado em seus primeiros anos de São Paulo e se saiu bem, já que tem pegada na marcação e boa chegada ao fundo do campo para descolar cruzamentos. Por sua vez, o também volante Araruna jogou como lateral na base, e a maioria das chances recebidas no profissional foram por ali.

Outros três jogadores que ainda integram as categorias inferiores podem suprir a ausência de Régis. Carlinhos tem treinado frequentemente com o elenco principal e, aos 19 anos, apresenta um estilo bem ofensivo. Já Tuta, da mesma idade, é zagueiro de origem, mas já foi utilizado como lateral no sub-20 e carrega consigo o estilo de Éder Militão, sendo alto e bom na parte defensiva. Por fim, Gilson tem apenas 18 anos e pode atuar tanto no meio como no lado. Porém, tem pouca estatura. As opções estão na mesa. Cabe a Aguirre escolher.

Conteúdo publicado originalmente no site 90min

RECEBA NOTÍCIAS DO SÃO PAULO DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!