Obstinado: Internacional define estratégia para conquistar título brasileiro

(Foto: Reprodução da Internet)

​Enquanto alguns clubes já fazem contas pelo título brasileiro, o Internacional traça uma estratégia diferente ao pensar no troféu que não conquista desde 1979. A filosofia interna do clube é não fazer projeções, mas sim pensar jogo a jogo, ser impor limites e/ou metas.

​​Em entrevista repercutida pelo ​UOL Esportes, o treinador Odair Hellmann falou sobre a estratégia e o planejamento do Colorado, revelando que o foco do grupo é se ater no trabalho diário, sem se preocupar com estatísticas: "Não fazemos projeção, e quando falo isso para vocês [jornalistas] não é da boca para fora. É real. Não penso em pontuação porque assim estaremos nos colocando limites. Se temos 33 pontos para disputar, não posso limitar meu time a 15, 16, 20, porque se chegamos a isso e os outros fizerem mais, não adiantaria nada. Não adianta pensar em 74 ou 76 pontos e não ganhar o próximo jogo", afirmou.

QUER SABER MAIS SOBRE O INTERNACIONAL? CLIQUE AQUI.

Neste exato momento da temporada, o site ​Chance de Gol, que calcula as probabilidades de cada time ser campeão, aponta o Palmeiras como maior favorito ao título (41,5%), com o Inter logo atrás (38,2%). Ambos chegaram à 28ª rodada com 53 pontos somados, podendo chegar, no máximo, a 86 ao final do Brasileirão. Fala-se muito em 77 pontos como "número mágico" para essa edição, a mais equilibrada dos últimos anos. O Corinthians de 2015 somou 81 pontos, melhor campanha dos pontos corridos desde 2006. Palmeiras (2016) e Cruzeiro (2014) foram campeões com 80.

Todavia, títulos como o do Flamengo de 2009, com 67 pontos, e o do Corinthians em 2017, com 72, evidenciam como o Brasileirão está bem longe de ser uma "ciência exata". Talvez por isso, Odair Hellmann foque em renovar as ambições de seus comandados semanalmente, sem pensar no que acontecerá em dezembro.

Conteúdo publicado originalmente no site 90min

RECEBA NOTÍCIAS DO INTERNACIONAL DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!