Cabeça longe? Pendência contratual leva jogador ao banco de reservas no Galo

(Foto: Reprodução da Internet)

Após ficar muito tempo parado por conta de lesão, o volante Adilson retornou com boas atuações ao time titular do ​Atlético-MG, dando indícios de que assumiria a posição ao lado de José Welison. Contudo, o bom desempenho rapidamente deu lugar à oscilação, motivando Thiago Larghi a voltar com o atleta para o banco de reservas.

​​​​Como destaca o ​UOL Esportes, não somente fatores técnicos/táticos explicam a opção do comandante. O volante vive um clima de total indefinição nos bastidores do Atlético, já que sua renovação contratual segue emperrada. Uma extensão de vínculo vem sendo discutida entre as partes desde o mês de ​julho, sem sucesso. ​

QUER SABER MAIS SOBRE O ATLÉTICO? CLIQUE AQUI.

Na reta final de agosto, o clube reabriu as negociações com o agente de Adilson, Cristiano Manica, mas as conversas não prosperam por divergências nos termos do acordo. As bases salariais oferecidas agradam o estafe, mas o tempo de contrato não: o Galo quer ampliar o vínculo por dois anos, enquanto os empresários exigem uma extensão até 2021.

Um novo encontro está programado para a próxima semana e, uma vez que a situação parece estar atrapalhando o desempenho do atleta, é esperado que o imbróglio seja resolvido com um desfecho feliz. Até lá, é bastante provável que Adilson siga no banco de reservas, como foi durante a partida contra o Flamengo, no domingo (26).

Conteúdo publicado originalmente no site 90min

RECEBA NOTÍCIAS DO ATLÉTICO DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!