Grêmio e Inter entenderam o que aconteceu no Gre-Nal? A prova virá no final de semana...

(Foto: Reprodução da Internet)

Rodrigo Dourado falou; Maicon falou; Renato Portaluppi falou; Odair Hellmann falou; Alberto Guerra falou; Roberto Melo falou; Marcelo Medeiros falou; Romildo Bolzan Júnior falou. O clima bélico que se instalou ao final do último Gre-Nal parece não ter hora para acabar. Mas precisa de um ponto final.

Jogadores, técnicos, responsáveis pelo futebol e presidentes de Grêmio e Inter colocaram suas posições. Uns de forma mais cálida, outros de forma mais serena. Neste momento, não importa se alguém pediu arrego ou não, se Renato é gentleman ou não, se Dourado e Maicon estão com a razão ao manter as provocações em um tom que já parece extrapolar os limites do bom senso.

O Inter ganhou o clássico e precisa mostrar que sabe as razões pelas quais se saiu vencedor. O Grêmio perdeu e precisa mostrar que sabe as razões do insucesso. Mas, passados três dias, não há garantia nenhuma de que os dois lados tenham total conhecimentos desses fatos. Líder do Campeonato Brasileiro, o Colorado vai a Chapecó no próximo domingo motivado, é verdade. Mas até que ponto todos os fatos não culminarão em uma "virada de fio"? O Tricolor, que recebe o Paraná no sábado, entrará em campo com a obrigação de manter os nervos no lugar, até pelo fato de haver um duelo decisivo pela Libertadores logo ali à frente.

É dentro das quatro linhas que tudo irá se encerrar. Acontecendo os bons resultados, o que se passou no Beira-Rio acabará em segundo plano. Agora, em caso de derrotas, talvez venha a comprovação de que ambos os lados perderam a compostura e, sim, ao alimentarem uma discussão que certamente será lembrada a cada novo encontro entre azuis e vermelhos, deram um mau exemplo a quem fica apenas de fora torcendo por seus times.​

Conteúdo publicado originalmente no site 90min