Mais polêmica? Cuca revive dilema da época de Palmeiras

(Foto: Reprodução da Internet)



Nem bem chegou ao Santos e Cuca já pode estar diante de uma primeira polêmica para lidar. No jogo contra o Ceará, o treinador optou por sacar Gabigol do time titular para dar uma chance a Yuri Alberto. A aposta não deu muito certo, o que fez aumentar ainda mais o questionamento sobre uma possível barração do camisa 10:

"A minha meta aqui não é chegar e ouvir: 'foi o Cuca que colocou o Gabriel no banco'. A meta que tenho é de fazer o Gabriel jogar o que já jogou. Lógico que se não conseguir é um outro departamento, mas é um jogador que foi selecionável ontem. Como que hoje desaprendeu? Acho que o primeiro passo com o Gabriel é entendermos o posicionamento dele, e ele também", analisou o treinador.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





LEIA MAIS
- Santos conversa com Diogo Vitor e jogador começará tratamento
- Santos enviará oficio à CBF contra arbitragem da Copa do Brasil
- Vagner Love agradece o Santos e culpa clube turco por fracasso nas negociações
- Sem Love, Santos intensifica negócio por 'plano B' empresário mostra otimismo


De acordo com o site ​UOL Esporte, apesar dos "panos quentes", há um receio (ainda tímido) na diretoria santista de que a barração tenha causado atrito na relação dos dois para a sequência do ano.

QUER SABER MAIS SOBRE O SANTOS? CLIQUE AQUI.

Tal situação faz lembrar um causo similar que viveu enquanto comandante do Palmeiras na última temporada. Tido como a principal contratação do time até então, Miguel Borja perdeu espaço no time titular sob a batuta de Cuca. A justificativa do técnico era até parecida com a que deu sobre Gabigol: paciência, adaptação, posicionamento. No fim, não deu muito certo, e o colombiano só desandou a marcar gols com Roger Machado. ​Fato destacado até hoje pelo próprio jogador.

Conteúdo publicado originalmente no site 90min

VEJA A CLASSIFICAÇÃO ATUALIZADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO

RECEBA NOTÍCIAS DO SANTOS DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!