Dirigente do Flu rebate críticas e destrincha realidade financeira do clube

(Foto: Reprodução da Internet)



​Trabalhando no futebol desde os anos 80, o experiente Paulo Angioni chegou ao Fluminense em junho deste ano. Há pouco mais de um mês como diretor executivo de futebol, cargo vago após o pedido de demissão de Paulo Autuori, Angioni vê esta, sua quarta passagem pelo Tricolor Carioca, como a mais 'desafiadora'.

Em entrevista concedida ao ​UOL Esportes, o dirigente destrinchou a atual realidade financeira do clube, falou sobre o papel do executivo dentro de um clube e rebateu as críticas e rótulos de 'ultrapassado' atribuídos pelo torcedor: "Quero contribuir para acabar com o preconceito. Se já estudava muito, agora estudo muito mais. A crítica não me abate, a crítica me dá oportunidade de melhorar. Essas coisas não colam em mim", afirmou.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





LEIA MAIS
- Pedro revela emoção ao ser convocado por Tite: "Todo mundo me mandando foto chorando"
- Pedro chora ao saber que foi convocado pela primeira vez; veja
- Com investimento da Brahma, Fluminense tem uma nova academia
- Fluminense anuncia atacante Kayke, que exalta: "Oportunidade gigante na carreira"


​​Perguntado sobre os rumos do futebol do Flu, Angioni falou sobre as dificuldades enfrentadas pelo clube e o que nutre como principal objetivo em seu trabalho nas Laranjeiras: "Temos uma pendência de imagem. Quando você não cumpre salários há um desgaste muito grande, é um dos fatores mais difíceis de ser ultrapassados. (...) Quero deixar um legado de mudança radical no conceito da maturação do jogador. Isso diminui os custos do futebol brasileiro, não tem como seguir com esses custos altos", concluiu.

QUER SABER MAIS SOBRE O FLUMINENSE? CLIQUE AQUI.

Conteúdo publicado originalmente no site 90min

RECEBA NOTÍCIAS DO FLUMINENSE DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!