Palmeiras e Fluminense levam a campo disputa judicial que já dura anos

(Foto: Reprodução da Internet)



O confronto entre Palmeiras e Fluminense nesta quarta-feira, às 19h30, no Maracanã, é mais do que um clássico. Como pano de fundo da partida, que já envolve dois clubes grandes de estados diferentes, está um histórico recente bastante particular. Os dois times, nos últimos anos, têm travado embates no mercado da bola, com acusações de aliciamento e a criação de uma rivalidade que extrapola as quatro linhas.

O último capítulo dessa relação conturbada estará sob os holofotes na 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Gustavo Scarpa, que se desvinculou na Justiça do Trabalho e trava uma ferrenha batalha judicial com o Flu, foi titular na vitória do alviverde sobre o Atlético-MG no último domingo e deve estar em campo.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





LEIA MAIS

- PVC chama atenção para números que desanimam a torcida do Corinthians

- Brasileirão 2018 - Vitória x Palmeiras: prováveis times, desfalques, onde ver e palpites

- Barbieri quebra cabeça no Flamengo para substituir Diego e Réver; veja as opções

- São Paulo faz treino com 'cuidado especial' antes de enfrentar a Chapecoense



Scarpa rescindiu com o Fluminense em janeiro, por atrasos no pagamento do FGTS. O Palmeiras aproveitou e investiu cerca de 6 milhões de euros em luvas para contratá-lo. A Justiça do Trabalho do Rio de Janeiro, entretanto, reverteu a decisão, vinculando o meia de volta ao clube carioca. Uma nova reviravolta no Tribunal Superior do Trabalho devolveu, no último dia 25 de junho, o jogador aos paulistas.

O episódio Scarpa está longe de ser o primeiro entrevero entre os dois clubes fora do gramado. A animosidade começou em 2007, quand Thiago Neves chegou a firmar um pré-contrato com o Palmeiras e quebrou o acordo para assinar com o Flu, que fez proposta mais tentadora.

Quatro anos depois, nova atravessada com o uruguaio Matinuccio, então no Peñarol. O alviverde, mais uma vez, fez um pré-contrato, mas os cariocas, com recursos da patrocinadora Unimed, entraram na parada e levaram a melhor. O caso gerou uma briga jurídica que dura até hoje, com o Palmeiras tentando receber uma multa de R$ 50 milhões.

VEJA A CLASSIFICAÇÃO ATUALIZADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO

No ano passado, quem tentou "atravessar" foi o Palmeiras, que fez proposta salarial alta por Richarlison. O Fluminense ficou muito incomodado e decidiu não negociar o jogador, mesmo com o rival acenando com uma proposta de até R$ 40 milhões. O atacante acabou negociado com o Watford, da Inglaterra, por R$ 46 milhões.

Nesta quarta, com o pivô da última rusga em campo, Palmeiras e Fluminense terão a oportunidade de "resolver" a rivalidade da forma mais saudável, vencendo o confronto. "Temos que pensar no time todo. Não vamos pensar em um só jogador. O Scarpa está do outro lado. Mas o foco é pensar no Palmeiras", disse Pedro, artilheiro do Brasileirão, em entrevista coletiva.

O alviverde está na sexta colocação, com 23 pontos. O Fluminense, com 18, é o 11º.

Conteúdo publicado originalmente no site UOL Esporte