Cueva entra na mira de EUA e Rússia e pode nem jogar mais pelo São Paulo

(Foto: Erico Leonan/saopaulofc.net)

Cueva se reapresentou no CT da Barra Funda nessa segunda-feira, mas, de acordo com o que os dirigentes e os responsáveis pela carreira do meia desejam, está realmente vivendo os seus últimos dias no São Paulo. A intenção de todos os envolvidos é acelerar as negociações que estão ocorrendo e, entre os clubes que mostraram interesse, aparecem o Krasnodar, da Rússia, e o Orlando City, dos Estados Unidos.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





A informação sobre as conversas com Krasnodar e Orlando City foi dada inicialmente pelo Globo Esporte e confirmada pelo LANCE! Os valores são mantidos sob sigilo e as duas equipes não são as únicas que mantêm contato com Tricolor e os representantes do peruano. Mas, por enquanto, os outros interessados também não devem ser revelados.

QUER SABER MAIS SOBRE O SÃO PAULO? CLIQUE AQUI.

Há uma clara intenção entre os envolvidos nas negociações de acelerar as conversas o máximo possível. O cenário ideal é que Cueva nem volte mais a campo pelo clube. A própria comissão técnica está ciente desde maio, pelo menos, de que não deve colocar o camisa 10 nos planos.



Além de Krasnodar e Orlando City, o Independiente, da Argentina, também quer Cueva. O interesse dos argentinos tornou-se público, mas, de acordo com o jornal Olé, o clube não pode oferecer mais do que US$ 6,5 milhões (quase R$ 25 milhões), bem abaixo do que o São Paulo pretende. E o Tricolor tem contrato com o meio-campista até junho de 2021.

VEJA A CLASSIFICAÇÃO ATUALIZADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Desde o início do ano, os dirigentes do São Paulo e os responsáveis por cuidar da carreira de Cueva tinham convicção de que a Copa do Mundo seria a vitrine ideal para uma negociação, dois anos depois de ele chegar ao Morumbi. Apesar de o desempenho na Rússia ter sido bem abaixo do esperado (o meia perdeu até pênalti), a meta de valor estipulada sempre foi de 8 milhões de euros (R$ 36 milhões) e, agora, o objetivo é perto de US$ 10 milhões (quase R$ 39 milhões).



A diretoria do São Paulo tem tranquilidade no momento por crer que a situação tem sido tocada com transparência por todos os envolvidos. O Tricolor não economizou em negativas às ofertas que chegaram em 2018: já ocorreram sondagens da Rússia, uma oferta de 7 milhões de euros (R$ 27,8 milhões na época) do Al-Hilal, da Arábia Saudita, e uma proposta oficial veio da China, com valor superior, mas forma de pagamento que não agradou ao próprio jogador.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!



RECEBA NOTÍCIAS DO SÃO PAULO DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!