(Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Scarpa celebra reestreia pelo Palmeiras: "Mantive a cabeça boa"

O amistoso do Palmeiras contra o Independiente Medellín, no Panamá, teve sua relevância muito discutida pelos torcedores nas redes sociais. Mas para o meia Gustavo Scarpa, se tratou da partida mais importante da temporada.

“Estou muito feliz de ter reestreado com uma vitória, mesmo que seja em um amistoso. Que a gente consiga se preparar bem para que possamos ter um resto de ano muito positivo”, disse o atleta.

QUER SABER MAIS SOBRE O PALMEIRAS? CLIQUE AQUI.

Escalado como titular diante dos colombianos, o meia atuou durante os primeiros 45 minutos – no intervalo, todos os atletas de linha foram substituídos. Além disso, o camisa 14 recebeu elogios de Roger Machado, que já pensa em escalá-lo diante do Santos, no retorno do Campeonato Brasileiro.

“Estou muito feliz de poder reestrear pelo Palmeiras depois de um momento muito difícil que eu passei. Sou muito grato a Deus por ter conseguido ficar em paz, com a cabeça boa. Agradeço a todos que mandaram mensagens nesse período. Também sou grato a Deus pelo grupo, que me recebeu muito bem, assim como todos os profissionais de todas as áreas aqui do clube”, completou.

Após o TST (Tribunal Superior do Trabalho) conceder habeas corpus ao jogador, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) publicou no BID (Boletim Informativo Diário) a rescisão de contrato de Scarpa com o Fluminense. Desde então, o meia teve seu destino nas mãos e optou pelo Alviverde.

O atleta e seus empresários tinham uma oferta milionária de um clube da Arábia Saudita, além de sondagens do Benfica-POR. A opção do jogador, porém, foi reassinar seu contrato com o Palestra, no valor de 6 milhões de euros, pagos em luvas a Scarpa – este havia sido suspenso por cláusula contratual em virtude do imbróglio jurídico com o Fluminense.

No entanto, independentemente da decisão do meia, o Fluminense entrará com recurso no TST. Se conseguir derrubar o habeas corpus, o Tricolor volta a ter o vínculo do atleta. Se ele tivesse optado pela Arábia, o procedimento seria o mesmo, sendo que caso o clube estrangeiro descumprisse ordem do TST, o time das Laranjeiras poderia acionar a Fifa, que tem órgãos para definir a situação.

Conteúdo publicado originalmente no site Gazeta Esportiva

RECEBA NOTÍCIAS DO PALMEIRAS DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!

Mais sobre - Palmeiras