Publicada em 17/05/2018, às 14:57

De decimo segundo homem a quarta opção, Sheik cai após expulsão e ascensão de Pedrinho

Notícias pelo Messenger

15 de abril: Emerson Sheik faz mais um grande jogo com a camisa do Corinthians ao servir Rodriguinho no gol da vitória sobre o Fluminense. Em alta, o veterano era visto como um 12º jogador do time de Fábio Carille.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Um mês depois e a situação é distinta. Expulso na derrota alvinegra para o Independiente sem nem tocar na bola, o atacante perdeu espaço ao ver o crescimento de Pedrinho na equipe, a chegada de Roger e a retomada de Jadson.

Fora da partida desta quinta-feira contra o Deportivo Lara-VEN justamente por causa do cartão vermelho recebido no começo de mês, Sheik viu Carille optar por outras três peças ofensivas antes de recorrer novamente a ele no segundo tempo da partida contra o Palmeiras.



Primeiro, o treinador trocou Pedrinho por Mateus Vital. Em seguida, lançou o centroavante Roger na vaga de Jadson, modificando assim, também, o esquema tático, saindo do 4-2-4 para o 4-2-3-1. Nos minutos finais, Carille fez a última alteração. Romero, então, deu lugar a Júnior Dutra, que manteve o posicionamento do paraguaio, pelo lado do gramado.

Em meio a tudo isso ainda está a renovação do atleta, que assinou contrato com o Corinthians por apenas seis meses. O atual vínculo se encerra no dia 30 de junho. Há um mês, minutos depois da assistência para Rodriguinho, Sheik estava otimista em relação a uma extensão por mais seis meses.



"Quando aceitei, eu sabia que tinha seis meses para poder não apagar a minha história no clube. E acho que estou conseguindo isso. Já surgiram algumas conversas. Tenho relacionamento bom com Fábio [Carille], Andrés [Sanchez] e Duílio [Monteiro Alves, diretor de futebol]. É um assunto que precisamos sentar e conversar", disse o jogador na ocasião.

De acordo com apuração da reportagem do UOL Esporte, embora a tendência seja de que Sheik jogue pelo Corinthians até o fim da temporada, as conversas entre as partes estão paralisadas neste momento.



Bom começo e queda

Sheik viveu seus melhores momentos na temporada 2018 atuando como um falso 9. Foi dessa forma que o atacante deu a vitória do Corinthians sobre o Mirassol ainda na primeira fase do Campeonato Paulista e abriu o placar do triunfo, de cabeça, diante do Deportivo Lara, em um duelo definido apenas na etapa final.

O atacante de 39 anos, que chegou a disputar três partidas decisivas como titular na vaga de Jadson, por dentro do meio-campo corintiano, ainda viu o camisa 10 corintiano retomar o bom futebol ao lado de Rodriguinho. Nos últimos dois jogos, o meia foi apontado como um dos melhores em campo, com movimentação constante, passes em profundidade e até assistências para os companheiros.

Sheik ainda corre o risco de levar uma punição maior nos jogos da Libertadores. O atacante cumprirá apenas a suspensão automática nesta quinta-feira e pode receber gancho de um jogo extra para o caso de ter sua atitude classificada como "conduta antidesportiva" ou suspensão mínima de dois jogos extras por conduta violenta ou agressão.

Ainda é citada no regulamento da competição a possibilidade de uma pena mais dura, superior a cinco jogos, caso seja considerado algo grave. Se isso acontecer, Sheik só voltará a jogar pelo Corinthians na Libertadores em um eventual segundo jogo das quartas de final.

Conteúdo publicado originalmente no site UOL Esporte

Mais sobre - Corinthians