Borja faz três, Palmeiras bate Junior e obtém melhor campanha da Libertadores

Após ir para o intervalo ouvindo vaias de torcida no Allianz Parque, o Palmeiras deslanchou no segundo tempo e fez 3 a 1 no Junior Barranquilla, nesta quarta-feira (16), no Allianz Parque, para fechar a fase de grupos da Copa Libertadores com vitória e garantir a melhor campanha da competição. Miguel Borja foi o autor dos três gols alviverdes, mas não comemorou nenhum e ainda encarou as arquibancadas após o primeiro.

Líder do Grupo 8, a equipe treinada por Roger Machado chegou a 16 pontos em seis rodadas. O retrospecto assegura mando de campo ao Verdão nos jogos de volta dos mata-matas do torneio continental até a final, caso chegue até lá. Os colombianos, com sete pontos, estão eliminados da Libertadores.

QUER SABER MAIS SOBRE O PALMEIRAS? CLIQUE AQUI.

Os melhores: Borja e Fernando Prass decidem

Torcedor do Junior Barranquilla na infância, Miguel Borja não teve piedade do time colombiano no Allianz Parque. Com três gols de oportunismo, ele chegou a 14 nesta temporada, artilheiro isolado da equipe em 2018.

Nos três gols, porém, o camisa 9 não esboçou reações festivas. Correu na direção da arquibancada, encarou parte da torcida, apontou para o céu, mas nenhum sorriso, apesar das tentativas de estímulo de alguns companheiros, como Dudu. Aos 25 minutos, ele foi substituído por Hyoran, deixou o campo ovacionado, mas seguiu de cara amarrada e não agradeceu pelos aplausos.

Fernando Prass era o oposto em termos de participação, mesmo com a defesa formada por Mayke, Luan, Emerson Santos e Victor Luís sofrendo algumas vezes com os ataques do Junior, especialmente em bolas alçadas na área. Por duas vezes, o goleiro teve de fazer intervenções para evitar gols de Teo Gutiérrez. Primeiro, Luan afastou mal e o centroavante bateu de primeira, mas o goleiro palmeirense espalmou. Depois, uma cabeçada à queima-roupa parou em mais uma defesa de reflexo.

No segundo tempo, a melhora do Palmeiras resumiu-se na atitude de Prass, muito vibrante em campo. Mal a torcida havia comemorado gol de Borja, aos seis minutos, o goleiro alviverde defendeu a cobrança de pênalti de Barrera. Na reposição de bola do goleiro, o Verdão quase ampliou com o atacante colombiano.

Os piores: Emerson Santos e Luan destoam

Com expectativa da torcida em torno de seu futebol, o zagueiro fez sua estreia como titular no Palmeiras, mas mostrou nervosismo e errou bastante. Nos primeiros dez minutos, foram três passes errados na saída de bola que proporcionaram contragolpes perigosos para o Junior. Depois disso, Emerson resolveu jogar mais simples e melhorou, mas levou cartão amarelo ainda no primeiro tempo por uma entrada forte no meio de campo. Pesou a falta de ritmo de jogo – ele passou o segundo semestre de 2017 encostado no Botafogo e só havia jogado alguns minutos em 2018.

Seu parceiro de zaga nesta noite, Luan, também não teve muitos motivos para comemorar. Deixou espaços e ainda foi imprudente na marcação a Teo Gutierrez dentro da área, que gerou pênalti para o Junior Barranquilla. Sorte que Fernando Prass estava em noite iluminada.

Palmeiras trabalha bem pelo meio, mas perde gols

Com Tchê Tchê e Guerra, o meio de campo do Palmeiras ficou mais leve. Os dois flutuaram para achar espaços entre a marcação do Junior e organizaram ótimas jogadas de ataque. O time alviverde conseguiu chegar na área dos colombianos, mas perdeu oportunidades de gol claras no primeiro tempo. Nas melhores chances desperdiçadas, Guerra demorou para chutar e foi travado, e Dudu finalizou em cima do goleiro Viera após ser colocado na cara do gol por Borja.

Dudu perde a faixa de capitão e volta a irritar torcida

Um dos jogadores mais questionados pela torcida nas últimas semanas, Dudu voltou a apresentar um futebol abaixo do esperado. Roger Machado tirou dele a faixa de capitão para o jogo, que ficou com Fernando Prass, normalmente reserva. O camisa 7 até mostrou garra, mas errou bastante tecnicamente. A torcida se irritou com algumas decisões erradas na hora do passe e principalmente após um gol perdido frente a frente com Viera.

Organizada ofende Roger antes do jogo. Torcida vaia no intervalo

Mesmo com o Palmeiras tendo a melhor campanha da Libertadores e a primeira colocação do grupo assegurada, o clima entre a torcida não foi dos mais amistosos. Antes do jogo, a principal organizada do clube ofendeu o técnico Roger Machado e pediu a saída dele: "Roger, c..., fora do Verdão". O restante da torcida presente ao Allianz Parque vaiou a uniformizada, mas, no intervalo do jogo, a insatisfação foi generalizada. Praticamente todo o estádio reclamou do time.

Colombianos reagem em gol impedido

O único gol do Junior Barranquilla na partida foi irregular. Aos 21 minutos, Chara recebeu pela direita, auxiliado pelo péssimo posicionamento de Emerson Santos e Luan, e cruzou rasteiro para Teo Gutierrez, que estava à frente da linha da bola e completou para a meta. A arbitragem, no entanto, validou o lance.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 x 1 JUNIOR BARRANQUILLA-COL

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 16/05/2018
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Enrique Cáceres (Paraguai)
Assistentes: Juan Zorrilla e Eduardo Cardozo (Paraguai)
Público: 25.787 pagantes
Renda: R$ 1.621.350,28

Gols: Borja, aos 6, 14 e 23 minutos do segundo tempo; Teo Gutierrez, aos 21 do segundo tempo
Cartões amarelos: Emerson Santos (Palmeiras); Piedrahita (Junior)

Palmeiras: Fernando Prass; Mayke, Luan, Emerson Santos e Victor Luís; Thiago Santos e Tchê Tchê (Bruno Henrique); Willian, Guerra (Deyverson) e Dudu; Borja (Hyoran). Técnico: Roger Machado

Junior Barranquilla-COL: Viera; Piedrahita, Ávila, Arias e Murillo (Perez); Pico e Cantillo; Chará (Ruiz), Barrera e Yony González (Diaz); Teo Gutiérrez. Técnico: Julio Comesaña

Conteúdo publicado originalmente no site UOL Esporte

RECEBA NOTÍCIAS DO PALMEIRAS DIRETO NO SEU MESSENGER. NÃO PERCA TEMPO! É DE GRAÇA!