Publicada em 09/02/2018, às 10:06

Melhor defesa do Paulistão é também responsável por um terço dos gols do Corinthians

Timão vem de três anos consecutivos como a zaga menos vazada do Campeonato Paulista

Juninho Capixaba e Pedro Henrique ganharam vaga no time titular após as saídas de Guilherme Arana e Pablo

CLIQUE AQUI e receba notícias do Corinthians direto no seu Messenger.

Se um bom ataque começa com uma boa defesa, o Corinthians não tem com que se preocupar. Enquanto a diretoria concentra esforços para achar um substituto ideal para Jô, a defesa alvinegra tem mantido o alto nível das últimas temporadas e, de quebra, ajudado lá na frente.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Até agora, na quinta rodada do Campeonato Paulista, foram apenas três gols sofridos – o que dá ao Timão a condição de defesa menos vazada, ao lado de Palmeiras e São Bento.

E mais: dos nove gols marcados pelo Corinthians, três foram da dupla de zaga titular – Balbuena (2) e Pedro Henrique (1).

Vale lembrar que, nas últimas três edições do Paulistão, a defesa corinthians foi a que menos tomou gols:

2015 – 12 gols sofridos (empatado com o São Paulo)
2016 – 10 gols sofridos (caiu na semifinal)
2017 – 11 gols sofridos (acabou campeão)

Veja abaixo os pilares do sucesso defensivo do Corinthians:

BALBUENA
O paraguaio marcou contra a Ferroviária (quando time perdia em casa, por 1 a 0), e fez o gol da vitória no clássico contra o São Paulo, chegando a 10 gols com a camisa do Corinthians, se tornando o nono zagueiro com mais gols na história do Corinthians, a um gol do oitavo colocado, Anderson Beraldo.

PEDRO HENRIQUE
Pedro Henrique ainda tenta se firmar e vive com a responsabilidade de substituir Pablo – além de ter o recém-contratado Henrique como sombra no banco de reservas. O jovem zagueiro marcou na última rodada, contra o Novorizontino, garantindo a vitória fora de casa por 1 a 0 e chegando a três gols com a camisa do Corinthians.

– Uma coisa que ressaltei é melhorar minha bola aérea. Vou procurar nos treinamentos melhorar e ajudar a equipe na frente, como Balbuena e Pablo ajudaram – afirma Pedro Henrique.

TÉCNICO
Essa regularidade da defesa não é por acaso. Fábio Carille, atual treinador, era antes o auxilar responsável justamente por ajustar a retaguarda do time – começou com Mano Menezes em 2009 e se manteve no cargo com Tite na sequência.

Como comandante, Carille provou manter a receita. Na temporada passada, sua primeira como treinador, o Corinthians foi a melhor defesa nos dois títulos que ganhou, Paulistão (11 gols sofridos) e Brasileiro (27).

A marcação é tão intensa que quem chega de agora demora para se adaptar. Juninho Capixaba, que veio para ocupar o lugar de Guilherme Arana na lateral esquerda, tem sentido a diferença nos últimos jogos, problema já detectado por Fábio Carille.

– Sei que ele precisa melhorar no setor (defensivo). Ele tem coragem, gosta de aprender, está sempre procurando saber o que fazer de melhorar. Ele vai melhorar, essa semana vai ser muito importante para ele – avaliou o treinador após o clássico contra o São Paulo.

SEQUÊNCIA E REPOSIÇÃO
O último ingrediente dessa receita de sucesso é a sequência das peças fundamentais e a reposição, quando necessária, das peças que vão embora.

É o caso de Pedro Henrique e Juninho Capixaba, que entraram nas vagas de Pablo e Arana, que saíram para o futebol europeu – o primeiro retornou do empréstimo ao Bordeaux.

O Corinthians ainda conta com os zagueiros Henrique, que chegou recentemente vindo do Fluminense, Yago, que retornou de empréstimo da Ponte Preta, e Léo Santos, garoto da base, que ainda busca espaço no profissional. Além de Vilson, que ainda se recupera de lesão muscular.

Para as laterais, além do titular Fagner na direita, o Corinthians conta com o garoto Mantuan – que foi reposicionado para a lateral e agora é substituto imediato do camisa 23. Na esquerda, além de Juninho Capixaba, o Corinthians tem como opções Guilherme Romão e o jovem Carlos Augusto, recém-promovido para o elenco profissional.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 20/02/2018, às 22:43

Conheça os favoritos para vencer a Liberta segundo as casas de apostas

Boca Juniors e Grêmio aparecem na frente, com Corinthians e Palmeiras na cola

(Foto: AFP)



A Taça Libertadores da América se aproxima do início da fase de grupos. E os favoritos já estão definidos nas casas de apostas.



De acordo com o site OddsShark.com/br, o tradicional Boca Juniors, da Argentina, e o Grêmio, atual campeão, despontam como principais candidatos ao caneco. Ambos pagarão aos apostadores R$ 7,00 para cada real investido.

Para voltar a dominar o cenário continental, os hermanos confiam no craque Carlitos Tevez, de volta após passagem apagada pela China. Já o time comandado por Renato Gaúcho conseguiu manter grande parte da espinha dorsal da temporada passada. Luan foi eleito o craque do continente.

Na sequência, mais um brasileiro: o Corinthians, em busca do segundo título da Liberta em sua história. O atual campeão paulista e brasileiro aparece com lucro de R$ 7,50 por real apostado. E na quarta colocação aparece justamente o Palmeiras, maior rival corintiano. O melhor time do Estadual de São Paulo até agora vale R$ 9,50 / 1.



Para deixar a disputa Brasil x Argentina equilibrada, o River Plate, time do atacante Lucas Pratto, e o Santos, fecham o top 5 entre os favoritos, pagando R$ 11,00 por real investido.

Cruzeiro e Flamengo, outros dois times com elencos muitos reforçados para 2018, também aparecem no Top 10. O Vasco, que ainda tem um jogo a disputar na fase eliminatória, vem a seguir.

Confira na galeria a posição de todos os brasileiros e a cotação de outros grandes clubes sul-americanos.

Veja todas as cotações do futebol nacional e internacional em OddsShark.com/br

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!