Publicada em 08/02/2018, às 11:20

Veja 5 motivos que explicam a oscilação do Santos neste início de temporada

Em cinco jogos em 2018, Peixe tem duas vitórias, duas derrotas e um empate

Jair Ventura em treino do Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Santos direto no seu Messenger.

O Santos começou 2018 da mesma forma que no ano passado: oscilando. Após cinco jogos disputados, o aproveitamento das duas temporadas é exatamente o mesmo, com duas vitórias, duas derrotas, um empate e a conquista de 46,7% dos pontos disputados.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Apesar de liderar o Grupo D do Campeonato Paulista, com sete pontos, um à frente de Botafogo-SP e RB Brasil, o Peixe tem sido irregular em campo. Das cinco partidas, o time dirigido por Jair Ventura saiu perdendo em quatro. O Mirassol (com cinco pontos) completa a chave.

O GloboEsporte.com lista cinco motivos que explicam a irregularidade do Santos neste início de temporada:

Lesões
Têm sido o principal problema da temporada. Só neste ano, Jair já perdeu seis jogadores por lesão, isso sem contar Vitor Bueno e Gustavo Henrique, que já vinham machucados desde o ano passado e estão em fase final de tratamento, o que o impossibilitou de dar sequência a um time titular. Lucas Veríssimo, Luiz Felipe, Victor Ferraz, Cleber, Bruno Henrique e Yuri desfalcaram o Peixe por estarem no departamento médico. Não é à toa que, contra a Ferroviária, neste sábado, às 16h30 (de Brasília), em Araraquara, o Peixe utilizará a sexta formação diferente em seis rodadas do Paulistão.

Carências no elenco
Não é novidade para ninguém que o Santos perdeu jogadores importantes, que eram titulares absolutos, na reta final do ano passado: Zeca, Lucas Lima e Ricardo Oliveira. No time de 2018, após cinco jogos, ficou nítido que o Peixe sofre de carências no elenco, principalmente na lateral esquerda. Caju e Romário foram testados, mas não foram bem. Por isso, o Santos estuda a contratação de um novo atleta para o setor. No ataque, que também era um problema, Gabigol deve ficar à disposição contra a Ferroviária.

Pré-temporada curta
Assim como todos os outros três grandes do estado, por conta da Copa do Mundo, o Peixe teve menos tempo para se preparar do que os times do interior que disputam o Paulistão, que começaram a se preparar para a temporada ainda no ano passado. Por terem iniciado os trabalhos depois, os atletas do Santos precisam de mais tempo para chegar à forma física ideal.

Dificuldade em repor saída
Para 2018, o Santos contratou Romário (acertado ainda na gestão do ex-presidente Modesto Roma), Eduardo Sasha e Gabigol. A diretoria do Peixe segue em busca de novos nomes, mas, por conta da situação financeira delicada que o clube vive, tem muitas dificuldades para fechar com novos reforços. Um exemplo disso é a novela envolvendo Lucas Zelarayán, do Tigres. As conversas se arrastam desde o fim do ano passado e não devem ter um final feliz para o Peixe.

Testes no elenco
Em praticamente todas as suas entrevistas coletivas, o técnico Jair Ventura ressalta que tem utilizado o início da temporada para fazer testes no elenco. Com as dificuldades por reforços citadas acima, o treinador tenta achar o que precisa na base. Só neste ano, Victor Yan e Lucas Lourenço (sub-17), Robson Bambu, Gabriel Calabres e Guilherme Nunes (sub-20), Diego Pituca, Diego Cardoso e Diogo Vitor (Santos B) foram promovidos ao elenco profissional.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 22/02/2018, às 21:07

Como estão indo os reforços mais badalados para 2018? Veja raio x

Titular? Reserva? Fazendo gols? Confira o que andam fazendo as contratações dos clubes



O mercado da bola foi movimentado e muitas negociações de impacto fora seladas para 2018. Mas como andam hoje os principais reforços dos times brasileiros? Muitos já são titulares nos seus novos times e estão "voando". Outros ainda estão em busca de espaço. Confira situações.



Henrique chegou ao Corinthians e já encontrou espaço no time titular. O zagueiro já tem dois jogos pelo Timão, porém a equipe foi vazada em ambos os duelos e ainda não venceu com ele em campo (1 a 0 para o São Bento e 1 a 1 diante do Red Bull Brasil).

Emerson Sheik ainda não foi titular desde que retornou ao Corinthians. São três jogos e nenhum gol ou assistência ainda. Ele entrou no segundo tempo dos três duelos.

Júnior Dutra chegou e conquistou seu espaço. Reserva nos dois primeiros jogos do Paulistão, ele marcou no segundo duelo (goleada por 4 a 0 sobre o São Caetano) e não demorou para virar titular. Ele esteve em campo nos oito jogos no Paulista, sendo titular em cinco oportunidades.



Lucas Lima chegou com tudo no Palmeiras. Oito jogos (todos como titular), um gol e três assistências. Tudo isso invicto - com seis vitórias e dois empates.

Gustavo Scarpa ainda está buscando seu espaço no Palmeiras. São três jogos, todos saindo do banco, sem gol ou assistência.

Marcos Rocha começou bem pelo Palmeiras. Titular em sete jogos e dono de quatro assistências.

Gabigol está iluminado em seu retorno ao Santos. Três jogos, todos como titular, e três gols - um em cada duelo. O último garantiu vitória no clássico sobre o São Paulo, no Morumbi.

Eduardo Sasha também está brilhando no Santos. O atacante tem sete jogos, dois gols e uma assistência. Ele ganhou vaga como titular em sua quarta partida e não perdeu mais o lugar.

Diego Souza já fez nove jogos pelo São Paulo, oito deles como titular. São dois gols pelo Tricolor, mas o meia-atacante ainda não solucionou os problemas do Tricolor no setor ofensivo.

Nenê chegou ao São Paulo e tornou-se titular, com cinco jogos disputados - todos entre os 11 principais. O meia já tem dois gols pelo Tricolor.

Anderson Martins começou com moral no São Paulo, sendo titular por três jogos - seus três únicos pelo Tricolor até aqui. Depois ele sentiu desconforto muscular na coxa esquerda e uma mialgia na região dorsal.

O meia Luiz Fernando foi titular em todos os sete jogos do Botafogo na temporada, mas ainda não balançou a rede pelo Glorioso.

Kieza está buscando seu espaço no Botafogo aos poucos. O atacante tem três jogos, todos saindo do banco, e um gol - em revés para o Flamengo por 3 a 1 na semifinal da Taça Guanabara.

Henrique Dourado chegou ao Flamengo com muita moral e em alta. Três jogos, todos como titular, e dois gols.

Já o atacante Marlos Moreno está procurando espaço. São apenas dois jogos - e saindo do banco no segundo tempo - e outros dois duelos como opção no banco, ainda sem gol marcado.

Jadson chegou bem ao Fluminense, logo conquistando vaga no time titular. O volante já tem seis jogos pelo Tricolor - todos entre os 11 principais.

O lateral-direito Gilberto já é peça importante no Fluminense: seis jogos, todos como titular, e dois gols marcados - ambos na partida contra o Salgueiro, goleada por 5 a 0 pela Copa do Brasil.

O volante argentino Desábato está em alta no Vasco. São sete jogos e lugar no time titular.

Rildo tem sido reserva neste começo de temporada no Vasco, mas sendo muito utilizado no segundo tempo das partidas. São seis jogos pelo clube (três deles pela Libertadores, saindo do banco) e dois gols.

Fred já tem sete jogos desde que voltou ao Cruzeiro. O atacante fez apenas um gol, mas tem "compensado" com participações em gols e fazendo trabalho de pivô.

O volante Bruno Silva tem quatro jogos na temporada, mas apenas dois como titular - e três como reserva não utilizado.

Roger tem variado entre jogos como titular e reserva. Já são seis jogos pelo Internacional, quatro como titular, e dois gols marcados - ambos em vitória por 3 a 0 sobre o Avenida.

Wellington Silva está buscando espaço no seu começo pelo Internacional. São dois jogos, ambos entrando no segundo tempo, e um como reserva não utilizado.

O lateral-direito Madson tem cinco jogos pelo Grêmio, todos como titular de time alternativo que vinha disputando o Campeonato Gaúcho.

O meia Alisson conseguiu lugar entre os titulares no Grêmio. São oito jogos pelo Imortal, três entre os 11 principais, e um gol marcado.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!