Publicada em 08/02/2018, às 19:21

Papai Pikachu atende cobrança da filha e celebra bom início de ano

À espera de Luiza, lateral havia esquecido de homenageá-la com gol no Chile, mas foi cobrado pela mais velha, Giovanna, na volta. Segundo ele, gol em São Januário mostrou suas características

(Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Vasco direto no seu Messenger.

Vida de pai não é fácil. Yago Pikachu cansou de homenagear a filha mais velha, Giovanna, com gols. Mas, à espera de Luiza, que nasce em maio, esqueceu de dedicar à caçula o gol que marcou no Chile sobre a Universidad de Concepción. Na quarta, em São Januário, na vitória por 2 a 0, ele marcou novamente e não deixou passar a promessa.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





- Minha filha de três anos já entende um pouco e viu uma foto de quando eu a homenageei, e ficou cobrando por que eu não tinha homenageado a irmã. No primeiro jogo acabei esquecendo. Nesse jogo, eu lembrei, e todo mundo ficou feliz em casa. Ciúme não vai ter (risos) – contou Pikachu.

O gol marcado sobre a Universidad de Concepción na volta, além do caráter de homenagem a Luiza, mostrou também outro lado de Pikachu. O lateral sempre quis atuar em sua posição de origem, mas passou os dois primeiros anos no Vasco atuando mais avançado, como ponta.

Neste início de ano, recebeu chance na função que gosta e já marcou dois gols.

- Essa é minha característica, chegar de surpresa no ataque. Esse gol do último jogo mostrou exatamente essa característica. Soube aproveitar a bola chegando e consegui fazer o gol. Esse ano está sendo positivo, com cinco jogos e três gols.

Nesta quinta-feira, Pikachu e os outros tiulares contra a UdeC fizeram trabalho regenerativo. No CT em Vargem Grande, o técnico Zé Ricardo comandou trabalho com o restante do elenco, num coletivo em campo reduzido. Thiago Galhardo, com dores na coxa, não foi ao gramado e ficou sob os cuidados do Caprres.

Zé montou o time com Gabriel, Rafael Galhardo, Paulão, Werley e Alan; Bruno Paulista, Andrey e Bruno Cosendey; Rildo, Paulo Vitor e Fabricio.

O Vasco, agora, aguarda o adversário na terceira fase da Libertadores. Oriente Petrolero e Jorge Wilstermann jogam nesta quinta-feira para decidir. No jogo de ida, o Wilstermann venceu fora de casa por 2 a 1.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 22/02/2018, às 20:46

Empresário de Martín Silva revela que pensou em tirar o goleiro do Vasco

Após ver o goleiro defender três penalidades e garantir a classificação do Vasco para a fase de grupos da Conmebol Libertadores, Regis Marques desabafou em sua conta no Twitter

(Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Vasco direto no seu Messenger.

No dia 26 de julho de 2015, Martín Silva viveu um de seus piores dias com a camisa do Vasco. Era a 15ª rodada do Campeonato Brasileiro daquele ano, o Cruzmaltino recebia em casa o Palmeiras e no fim do primeiro tempo já sofria uma goleada por 3 a 0.



Voltando ao time após dois meses fora por contusão, o uruguaio não foi poupado pela torcida, que o vaiou pelas falhas nos gols do adversário. Para piorar, Martín foi substituído no intervalo e após o jogo, o então treinador, Celso Roth, creditou a “erros individuais” a derrota por 4 a 1, além de barrar o arqueiro na sequência do campeonato.

Nesta quarta-feira (21 de fevereiro), após ver o goleiro defender três penalidades e garantir a classificação do Vasco para a fase de grupos da Conmebol Libertadores, Regis Marques, empresário de Martín Silva desabafou em sua conta no Twitter.

“Em pensar que as vaias contra o Palmeiras, da torcida, foi a coisa mais covarde que vi, quase me fez tirar ele do Vasco”, contou o agente, para em seguida fazer uma advertência à torcida. “Só espero que apoiem quando falhar também, pois nas boas estão vários com ele. Quero ver nas más”, finalizou.






Conteúdo publicado originalmente no site Fox Sports