Publicada em 08/02/2018, às 12:22

Corinthians é condenado a pagar ação milionária a ex-zagueiro Chicão

Timão sofreu nova derrota em processo aberto por ídolo cobrando direito de arena. Caso chegou à última instância trabalhista, mas clube ainda fala em recurso

Ex-zagueiro Chicão, grande nome da história do Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Corinthians direto no seu Messenger.

O Corinthians sofreu nesta semana nova derrota na Justiça em ação aberta pelo ex-zagueiro Chicão, em 2014. Um dos jogadores mais vencedores da história do clube, sendo inclusive campeão mundial em 2012, Chicão pleiteou valores sobre direito de arena. A quantia a ser paga fica entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





A vitória de Chicão aconteceu no Tribunal Superior do Trabalho (TST), a última instância trabalhista - já havia vencido nas outras duas anteriores. Portanto, não cabe mais recurso nessa esfera. O Corinthians, porém, ainda não se dá por vencido. Em contato com a reportagem do LANCE! por assessoria de imprensa, o clube disse que está ciente do processo, mas ainda não o vê como finalizado. O departamento jurídico ainda pode tentar um recurso no Superior Tribunal Federal (STF). Chicão é representado pelo advogado João Henrique Chiminazzo.

"O Sport Club Corinthians Paulista tem conhecimento do processo em tramitação, que encontra-se em fase recursal, e tomará as providências cabíveis ao caso", informou o Corinthians por assessoria.

Chicão jogou no Corinthians de 2008 a 2013. Na ação, ele cobrou a diferença de 5% para 20% no pagamento dos direitos de arena do período em que defendeu as cores do Timão.

Segundo defensor com mais gols na história do Corinthians - marcou 42, atrás apenas de Grané, zagueiro e lateral-direito entre 1924 e 34, com 50, Chicão foi também um grande vencedor pelo clube. Foram oito títulos: Mundial de Clubes (2012), Libertadores (2012), Brasileirão (2011), Recopa Sul-Americana (2013), Copa do Brasil (2009), Série B (2008) e bicampeonato paulista (2009 e 2013). Saiu em 2013 para jogar no Flamengo e passou ainda por Bahia e Delhi Dynamos, da Índia, onde encerrou a carreira em 2016, então com 35 anos.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!

Publicada em 09/02/2018, às 11:28

Júnior Dutra, do Corinthians, volta ao palco de parceria com Marcelinho Carioca

Atacante viveu parceria com o ídolo da Fiel entre 2008 e 2009 no Santo André

Junior Dutra será mantido no ataque do Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Corinthians direto no seu Messenger.

O jogo desta sexta-feira, às 19h, no Bruno José Daniel, será especial para Júnior Dutra, do Corinthians. Oito anos depois de deixar o Santo André rumo ao futebol japonês, o atacante volta ao ABC paulista para enfrentar sua primeira equipe profissional pela sexta rodada do Paulistão.



– Tenho um carinho e respeito muito grande pelo Santo André. Consegui ter uma projeção nacional atuando em competições importantes como o Paulistão e a Série A. Aprendi muito lá, o elenco tinha jogadores experientes e pude evoluir.

Um dos jogadores experientes com quem Dutra atuou no Ramalhão foi Marcelinho Carioca, um dos maiores ídolos da história do Corinthians, em seu último ano de carreira profissional, aos 37 anos. Juntos, conseguiram o acesso para a Série A do Brasileiro em 2008. No ano seguinte, não conseguiram evitar a volta do clube para a Segunda Divisão.

– Joguei com o Marcelinho Carioca, que foi meu padrinho no futebol, no Santo André. Eu admirava muito ele, e depois jogamos juntos – citou Dutra, na chegada ao Corinthians.



Goleiro atual do Ramalhão, Neneca fazia parte do elenco em que Junior Dutra e Marcelinho Carioca atuaram. O técnico Sérgio Soares é outro velho conhecido do atacante corintiano.

Depois de deixar o Ramalhão, Dutra partiu para o futebol japonês (jogou por Kyoto Sanga e Kashima Antlers), passou pela Bélgica (no Lokeren), Qatar (no Al-Arabi) e voltou ao Brasil em 2016 para jogar pro Vasco e, depois, Avaí. Aos 30 anos, diz viver o auge da carreira no Corinthians.

– É o maior do futebol brasileiro. Estou me adaptando muito bem, até porque temos uma estrutura espetacular e o time é muito bom, rápido, de toque de bola e que encaixa bem com o meu jogo. Venho conquistando o meu espaço e a torcida tem me apoiado bastante. Quero escrever uma bonita história nesse time que estou realizando o sonho de defender – afirmou.

Ainda sem um reforço para o ataque, Fábio Carille tem dado sequência para Dutra no ataque do Timão. Kazim, que começou a temporada como titular, perdeu espaço e será opção no banco.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte