Publicada em 08/02/2018, às 11:32

Análise: os sete erros e os sete acertos do São Paulo até agora em 2018

Sequência de três vitórias precisa ser valorizada, mas vaias não podem ser ignoradas

(Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Não dá para ignorar o fato de que o São Paulo chegou a três vitórias seguidas (duas no Paulistão e uma na Copa do Brasil). A relevância da sequência está bem representada na liderança do Grupo B do torneio estadual e na classificação à segunda fase do torneio nacional. Ponto.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Não dá para ignorar também as vaias após tímidas vitórias contra o Madureira, na Copa do Brasil, e Bragantino, na última quarta-feira, pelo Paulistão (veja aqui como foi a partida). Elas são o reflexo da má impressão que o Tricolor deixou ao lutar contra o rebaixamento em 2017. Outro ponto.

Diante disso, portanto, Diego Souza tem razão ao afirmar que o "mais importante é a terceira vitória seguida" do São Paulo. Assim como a torcida, machucada pela dificuldade do último ano, tem razão em cobrar, mesmo que de maneira aparentemente precoce, um bom futebol.

Para encontrar o equilíbrio entre essas duas pontas é necessário colocar na balança o que ocorreu de ruim e bom após sete jogos na temporada (seis no Paulistão e um na Copa do Brasil).

Vamos, então, ao jogo dos sete erros:

- Perder Hernanes e Lucas Pratto não estava nos planos
- O atraso de Cueva na pré-temporada prejudicou a comissão técnica
- A tentativa de ter dois times no começo do ano não deu certo
- Dorival demorou a ter os reforços que pediu para criação e ataque
- O pouco tempo de preparação pesou, mesmo com a base mantida
- O ataque só funcionou na terceira rodada do Paulistão
- Apesar de Militão estar bem na lateral, não contratar um especialista

E agora... o jogo dos sete acertos:

- Vetar Cueva de três jogos para que ele recuperasse o ritmo
- A contratação de Nenê, que deu outro ritmo à criação do time
- Abandonar a ideia de ter dois times e escalar força máxima
- A defesa, com o time titular, só sofreu dois gols em seis jogos
- A insistência nas jogadas pelas laterais, principal arma até aqui
- A aposta nos jovens jogadores das categorias de base
- O retorno de Reinaldo, mesmo sendo nome contestado antes

A sequência do São Paulo, agora, tem o Ituano, quinta-feira, e o Santos, domingo, pelo Paulistão. E o CSA, de Alagoas, pela segunda fase da Copa do Brasil.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 09/02/2018, às 11:11

Dorival pode atingir marca que foi batida pela última vez por Muricy Ramalho no São Paulo

Caso vença o duelo da próxima quarta-feira, contra o CSA, pela Copa do brasil, técnico alcançará uma marca inatingível desde março de 2015

(Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Pela segunda vez, Dorival Jr está próximo de quebrar um longo jejum no comando do São Paulo desde que chegou ao Morumbi. Vindo de três vitórias consecutivas, o treinador, caso vença o duelo da próxima quarta-feira, contra o CSA, pela Copa do brasil, alcançará uma marca inatingível desde março de 2015, quando Muricy Ramalho ainda estava à frente do Tricolor.



Na época, o São Paulo acabou superando o São Bento, Ponte Preta, San Lorenzo, este pela Libertadores, e Marília, somando quatro vitórias consecutivas. Ainda assim, não conseguiu alçar voos altos na temporada e teve de se contentar com mais um ano sem qualquer título conquistado.

Em 2017, já sob o comando de Dorival Jr, o São Paulo esteve muito próximo de vencer quatro jogos de maneira consecutiva. Foi na reta final do Campeonato Brasileiro. Depois de superar Flamengo, Santos e Atlético-GO, bastava ao Tricolor levar a melhor sobre a Chapecoense, no Pacaembu, para acabar com o jejum, no entanto, o time catarinense conseguiu sair de campo com um empate em 2 a 2.

Vindo de triunfos sobre Madureira, Botafogo-SP e Bragantino, Dorival Jr, ainda assim, tenta se livrar de uma vez por todas da grande pressão que se instalou no clube neste início de temporada. Para isso, o comandante são-paulino trabalhará duro neste Carnaval para que sua equipe, enfim, chegue à quarta vitória consecutiva. Mais do que o jejum, o resultado é de extrema importância pelo fato de o próximo jogo da equipe ser válido pela segunda fase da Copa do Brasil, contra o CSA, de Alagoas.



Conteúdo publicado originalmente no site Fox Sports