Publicada em 07/02/2018, às 14:01

Queda para a Aparecidense faz aumentar frustrações do Bota na Copa do Brasil

Alvinegro coleciona eliminações para equipes de menor expressão. Derrota mais marcante foi na final contra o Juventude, em 1999, com mais de 100 mil pessoas no Maracanã

(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Botafogo direto no seu Messenger.

A derrota por 2 a 1 e inesperada eliminação do Botafogo para a Aparecidense, na noite desta terça-feira, em Goiânia, deixaram o torcedor triste e aumentaram o histórico de quedas para equipes de menor expressão na Copa do Brasil. A maior delas, sem dúvida nenhuma, foi a perda na decisão de 1999, contra o Juventude em um Maracanã lotado.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





O fato não é exclusividade do Botafogo, outros clubes considerados grandes também já passaram por isso, mas o Alvinegro traz marcas expressivas na competição, que ainda não conquistou. Por sinal, dos quatro principais do Rio de Janeiro, é o único sem essa taça no currículo.

Confira, abaixo, as eliminações mais marcantes do clube:

Vitória (1997)

No encontro entre os dois times, na segunda fase de 1997. O Vitória foi ao Rio e despachou o Botafogo por 3 a 0, eliminando, inclusive, a necessidade do jogo de volta. Agnaldo e Gil Baiano, duas vezes, foram os responsáveis pela eliminação precoce do Alvinegro.

Juventude (1999)

O time gaúcho venceu o primeiro jogo, realizado no Estádio Alfredo Jaconi, por 2 a 1. O segundo duelo, no Rio de Janeiro, terminou em um empate sem gols. Com estes resultados, o Juventude sagrou-se campeão da competição pela primeira vez diante de mais de 100 mil pessoas no Maracanã.

Remo (2001)

Depois de perder fora de casa por 2 a 1 (Zezinho fez dois, e Alexandre Gaúcho descontou), o Botafogo voltou a ser derrotado em casa pelo mesmo placar (Váldson, pelo Alvinegro, e Vélber e Cametá, do Remo), em duelo válido pela 2ª Fase da Copa do Brasil 2001.

Gama (2004)

No dia 7 de abril de 2004, o Botafogo foi eliminado pelo Gama em pleno Maracanã pelo placar de 3 a 2. O duelo era válido pela 2ª Fase da Copa do Brasil. Construiram o placar: Alex Alves (2), pelo Alvinegro, e Víctor Santana (2) e Thiago, pelo time de Brasília.

Paulista (2005)

Na estreia do técnico PC Gusmão, em 2005, o Botafogo empatou no Maracanã em 2 a 2 com o Paulista e foi eliminado na segunda fase da Copa do Brasil. Como o jogo de ida terminou 1 a 1, o time visitante se classificou por ter feito mais gols fora de casa.

Ipatinga (2006)

Depois de ter perdido no jogo de ida por 3 a 0, o Botafogo voltou a ser derrotado no Maracanã para o Ipatinga, desta vez por 3 a 1, e saiu mais cedo da competição.

Figueirense (2007)

Em 23 de maio 2007, o Botafogo, mesmo ganhando por 3 a 1, sofreu um duro golpe, ao ver a equipe catarinense se classificar para a final em pleno Maracanã, em um jogo que ficou marcado por erros da bandeirinha Ana Paula de Oliveira. Ela anulou dois gols legítimos do Alvinegro. A partida de ida terminou em 2 a 0 para o Figueirense.

Americano (2009)

Mesmo jogando no antigo Engenhão (hoje, Estádio Nilton Santos), que recebeu um bom público, o Botafogo foi eliminado. Depois de vencer por 2 a 1 no tempo normal, perdeu por 5 a 4 nos pênaltis. Autor do gol da vitória, Maicosuel desperdiçou a cobrança que tirou o time da competição. No jogo de ida, o Alvinegro já havia perdido por 2 a 1.

Santa Cruz (2010)

Gol no fim! Depois de estar empatando por 2 a 2 até os 45 minutos do segundo tempo, resultado que lhe dava a classificação, o Botafogo perdeu para o Santa Cruz por 3 a 2, em casa, e foi eliminado da Copa do Brasil. O Alvinegro havia vencido a primeira partida, no Recife, por 1 a 0.

Figueirense (2015)

Após empate em 2 a 2 no jogo de ida, em Florianópolis, o Figueirense venceu o Botafogo no Rio de Janeiro e eliminou mais uma vez o Alvinegro da Copa do Brasil. Marcão, de letra, marcou aos 47 do segundo tempo e garantiu a classificação.

Aparecidense (2018)

Em partida única, o Botafogo, que tinha a vantagem do empate, perdeu por 2 a 1 para a Aparecidense e foi eliminado na primeira fase da Copa do Brasil de 2018. Rodrigo Pimpão chegou a abrir o placar, mas o time não suportou a pressão do adversário, que virou no segundo tempo.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 09/02/2018, às 10:32

Cartola admite que situação do técnico Felipe Conceição é muito difícil

Jefferson fala de enorme tristeza por queda na Copa do Brasil e críticas

Felipe Conceição começa a ser contestado (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Botafogo direto no seu Messenger.

Os jogadores do Botafogo retomaram os treinamentos no Nilton Santos ainda juntando os cacos da vexaminosa eliminação na Copa do Brasil para a Aparecidense, de Goiás. Com viaturas da Polícia Militar na porta do estádio como precaução após os incidentes no desembarque de quinta-feira , o gerente de futebol Anderson Barros foi o porta-voz da diretoria e deixou claro que a situação do técnico Felipe Conceição é muito difícil.



Ele não garantiu o treinador no cargo nem mesmo em caso de vitória sobre o Flamengo, sábado, às 16h30, em Volta Redonda, pela semifinal da Taça Guanabara. Segundo Anderson Barros, o trabalho será avaliado dia a dia.

Com o clima pesado, o goleiro Jefferson, ídolo da torcida, foi o escalado para a entrevista coletiva. E admitiu ter ficado muito triste com as críticas após a eliminação na Copa do Brasil pelo fato de aparecer sorrindo numa imagem da TV: "O que mais doeu foi ver minha torcida duvidando do meu caráter. Como se você chegasse em casa e visse sua esposa e filhos duvidando de você. Mas, enfim, os verdadeiros torcedores não duvidam. Se fosse de outros torcedores, eu entenderia. Nem dormi praticamente."

Ele também lamentou a forma como a delegação foi recebida no Rio: "Foi muito triste, saímos como bandidos, pelos fundos. Os próprios torcedores estão repudiando quem foi lá. Isso é importante. Nós repudiamos o que aconteceu no aeroporto." Jefferson defendeu a manutenção do treinador. "A gente quer que o Felipe continue pela pessoa que é, o pouco tempo de trabalho, mas sabemos que a pressão está em cima dele. Vamos fazer do jogo contra o Flamengo a nossa vida, correndo por ele, mas também pelo Pimpão, Gilson, torcedores e nossos familiares. Vamos suar sangue para conseguir a classificação", prometeu.



Além do período de enorme pressão e instabilidade, para chegar à decisão da Taça Guanabara, o Botafogo terá que vencer o jogo de amanhã, já que o Flamengo tem a vantagem do empate.

Como mudou o esquema do time na derrota para a Aparecidense, a escalação para o clássico virou um enigma.

Conteúdo publicado originalmente no site O Dia