Publicada em 06/02/2018, às 11:52

Corinthians e Santos esfriam conversas por Marquinhos Gabriel

Conversas sobre a chance de o meia-atacante retornar à Vila Belmiro não evoluíram e transferência é tida como improvável. Peixe busca alternativas para o elenco

(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)



Não evoluíram as conversas entre Corinthians e Santos sobre uma possível negociação do atacante Marquinhos Gabriel. Apesar de terem acontecido apenas contatos iniciais, dirigentes de ambos os clubes já tratam a questão como superada.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Do lado santista, é citada a dificuldade imposta pelo Corinthians para liberar o jogador que passou pela Vila Belmiro em 2015. Marquinhos Gabriel tem contrato com o Timão até julho de 2020 e tem sido utilizado pelo técnico Fábio Carille.

No Corinthians, que acaba de passar por eleição presidencial, quem concentra as contratações é o gerente de futebol Alessandro Nunes. Ao lado do agora ex-presidente Roberto de Andrade, ele era o único membro do departamento de futebol apar das negociações. E sinalizou com o cenário negativo na liberação de Marquinhos.

Andrés Sanchez foi eleito presidente no último sábado e nomeou Duílio Monteiro Alves como diretor de futebol. Alessandro continua, mas o novo presidente já disse que verá se o profissional se adequará ao seu modelo de gestão. Não está descartada a saída. Mas, mesmo que isso aconteça, a situação das tratativas com o Santos não devem ser alteradas. Carille conta com Marquinhos.

O Santos passou a cogitar o retorno do meia-atacante quando passou a ter dificuldade para contratar Lucas Zelarayán, meia do Tigres (MEX). O Peixe tinha um acordo com o meia argentino e aguardava a liberação do clube mexicano. Porém, o Tigres não conseguiu fechar com o Sevilla(ESP) para ter o meia Guido Pizarro e, sem substituto, colocou obstáculos na negociação com a diretoria santista.

O atleta de 27 anos teve passagem pelo Santos em 2015 e conseguiu destaque. Foram 44 jogos e nove gols. Porém, no ano seguinte o Timão venceu a concorrência do próprio Peixe em 2016, quando pagou R$ 11 milhões ao Al Nassr para ter o meia. Na época, o time da Baixada demorou para fechar o acordo.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!

Publicada em , às