Publicada em 05/02/2018, às 12:07

Lugano aposta: Nenê é exatamente o que o São Paulo precisa em 2018

Ao LANCE!, o ídolo uruguaio, que jogou com o meia-atacante no PSG, ressaltou que caráter e personalidade do novo camisa 7 serão fundamentais para o Tricolor nesta temporada

Nenê chega ao São Paulo com aval de Lugano e amplamente aprovado por Raí (downloadÉrico Leonan/saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Nenê é uma das grandes apostas do São Paulo para a temporada, e não apenas de quem o contratou. Hoje superintendente de relações institucionais no clube, Diego Lugano jogou com o novo camisa 7 no Paris Saint-Germain, no começo da década, e, em conversa com o LANCE!, assegura: ele é exatamente o que o Tricolor precisa para enfrentar um ano de pressão.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





- O Nenê é um jogador com características especiais. Chama a responsabilidade, gosta da bola, com um caráter forte. O São Paulo, hoje, principalmente, precisa muito disso, porque será um ano de muita pressão - indicou o uruguaio, sem medo de indicar o recém-contratado meia-atacante como uma das soluções para a temporada.

- A torcida está impaciente por resultados, então você precisa de jogadores que tenham personalidade, principalmente, além de talento, para ele assumir o papel de protagonista e definir o jogo para a gente. Essa é a principal característica que vejo no Nenê.

Lugano e Nenê jogaram juntos por dois anos e meio no PSG, entre 2010 e 2012, e o ex-zagueiro viu o meia-atacante em grande fase, sendo eleito o melhor jogador do Campeonato Francês em 2010/11 e artilheiro na temporada seguinte, com 21 gols. A amizade entre eles ficou clara no forte abraço dado pelo uruguaio ao ver o brasileiro no CT da Barra Funda, na semana passada.

- Reencontrar o Lugano foi bem legal. Jogamos juntos no PSG. É um cara extraordinário, batalhador, vencedor. Vai continuar ajudando muito o São Paulo de fora também - disse Nenê à SPFCTV.

Os tempos de Paris Saint-Germain fazem com que Raí também confie em seu recém-contratado. O hoje diretor executivo de futebol do São Paulo é ídolo do clube francês, onde jogou nos anos 1990, e admira tanto Nenê que o buscou no Vasco mesmo sem seu nome ter sido pedido pelo técnico Dorival Júnior.

- Eu já conhecia o Nenê pessoalmente. Jogamos no mesmo clube em Paris, estivemos juntos algumas vezes. Dispensa comentários a qualidade técnica que ele agrega a qualquer elenco, e não será diferente no São Paulo. Com categoria, habilidade, inteligência e movimentação, com certeza será logo muito importante para o nosso grupo - comentou Raí.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!

Publicada em 23/02/2018, às 13:59

Crônicas do Morumbi: Jardine, o ponto futuro de Dorival no São Paulo

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Dorival não caiu de fato, mas ele ainda comanda a equipe? Segue mantido único e exclusivamente pela posição de Raí, que acredita em uma evolução do trabalho. Leco queria a demissão, no entanto, perder o apoio de Raí pesou para recuar e proporcionar uma sobrevida a Dorival.



A manutenção do técnico pode ser analisada por dois ângulos opostos: uma seria pela honra, o apoio de Raí; outra, pela situação humilhante, com a permanência vinculada ao bom resultado e desempenho na próxima rodada.

Impossível mensurar até que ponto Raí tem real convicção no trabalho de Dorival. A impressão pairante é que o ídolo tricolor segurou Dorival para não deixar a imagem que rapidamente cedeu à pressão das arquibancadas.

Enquanto isso, as luzes dos corredores do Morumbi seguem se apagando à medida em que Dorival caminha. Os refletores miram Jardine, que deverá ser promovido a auxiliar técnico do time principal.



A ascensão de Jardine pela diretoria instaurará uma questão freudiana para Dorival resolver: Além de prazo para mostrar resultado, Dorival aceitará o rebaixamento de seu filho do cargo para ceder espaço ao multicampeão da base?

Como um dia Cláudio Coutinho denominou o overlapping como a possibilidade de se fazer uma jogada sem a bola; nos campos políticos dos clubes, também é é possível construir um novo cenário a partir de uma simples movimentação.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!