Publicada em 05/02/2018, às 14:45

Dorival revela 'condição' para Cueva e Nenê atuarem juntos no São Paulo

Parceria na equipe titular, segundo o treinador, tem tudo para ser uma tendência na equipe, desde que a dupla cumpra com algumas funções defensivas

(Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Dois dos principais jogadores do São Paulo, os meias Nenê e Cueva atuaram juntos durante 33 minutos do segundo tempo na vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo-SP, no último sábado, no Morumbi. A parceria, segundo o técnico Dorival Júnior, tem tudo para ser uma tendência na equipe, desde que a dupla cumpra com algumas funções defensivas.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





“Não vejo problema, são dois grandes jogadores. Mas precisamos ter disposição para recuperar a bola e sermos mais participativos. Com interesse, bom posicionamento e determinação, se cumprem as tarefas. Mesmo sendo grandes jogadores, sabem que precisam se doar para melhorar a equipe e para as funções serem executadas”, avaliou Dorival.

Uma análise mais aprofundada sobre a possibilidade, no entanto, acontecerá durante os treinos desta semana. O certo é que Dorival gosta do esquema atual com dois meias centralizados e dois pontas, que voltam para ajudar na marcação quando o time está sem a bola.

Diante do Botafogo, Nenê começou mais centralizado, mas sempre se movimentando e trocando de posição com Brenner, no primeiro tempo, e com Cueva, no segundo. Tanto que a jogada do primeiro gol começou com o camisa 7 aberto por aquele lado, antes de Reinaldo fazer a ultrapassagem e cruzar para Diego Souza abrir o placar.

A dúvida é se Nenê, aos 36 anos, e Cueva irão colaborar na marcação quando a equipe estiver sem a posse de bola. A ideia é não sobrecarregar Jucilei, responsável pela primeira proteção à zaga, como ocorreu em boa parte do primeiro tempo na derrota para o Corinthians.

“Temos de ter esse cuidado. A entrada do Nenê nos deu um ganho importante, ele tem chegada. Agora é acertar para que possam atuar juntos, pontuar algumas situações para ocuparem o campo ofensivo, como sempre”, projetou Dorival.

O primeiro teste de Nenê e Cueva juntos pode acontecer diante do Bragantino, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Morumbi, pela sexta rodada do Campeonato Paulista. Com sete pontos ganhos em cinco jogos, o Tricolor lidera o Grupo B da competição.

Conteúdo publicado originalmente no site Fox Sports

Publicada em 24/02/2018, às 14:41

Pior do século: São Paulo não inicia ano com tantas derrotas desde 2000

Analisando os dez primeiros jogos oficiais de cada temporada do Tricolor paulista, a equipe do técnico Dorival Júnior é quem mais perdeu, sendo vencida em quatro partidas até agora

(Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Neste ano, Dorival Júnior alcançou quatro vitórias consecutivas, uma sequência que não ocorria no São Paulo desde março de 2015. Mas o pressionado treinador ostenta uma marca negativa: neste século, nunca o clube teve tantas derrotas (quatro) em suas dez primeiras partidas oficiais como em 2018.



A última vez que o time perdeu em 40% dos dez jogos iniciais em cada temporada ocorreu em 2000, sob o comando de Levir Culpi. Mas, há 18 anos, o desempenho era melhor: a equipe, ao menos, conseguiu seis vitórias, com um aproveitamento de 60% dos pontos que disputou - e foi campeão paulista.

Dorival acumula neste ano 53,3% de aproveitamento, com quatro derrotas, um empate e cinco triunfos. Neste século, só uma vez o time somou menos pontos em seus dez primeiros jogos: em 2014, sob o comando de Muricy Ramalho, com 50% de aproveitamento jogando apenas o Paulista, mas, ao menos, o time teve quatro vitórias, três empates e três derrotas, menos do que a sequência atual - e terminou o ano com o vice-campeonato brasileiro.

O mau início de 2018 ainda não trouxe grande prejuízo. Duas vitórias ocorreram na Copa do Brasil, na qual o Tricolor está na terceira fase. No Campeonato Paulista, apesar de só três triunfos, um empate e quatro derrotas, sendo o terceiro clube que mais perdeu no torneio, o São Paulo lidera o Grupo B, com dez pontos, superando a Ponte Preta, também com dez pontos, no número de vitórias (três contra dois), critério de desempate.



Com marcas negativas, e vindo de duas derrotas seguidas (para Santos e Ituano, pelo Paulista), Dorival Júnior foi cobrado pela diretoria em reunião nessa quinta-feira, mas ganhou mais um voto de confiança. Neste domingo, às 17h, recebe a Ferroviária, no Morumbi, com promessa de novos protestos por parte da Independente, principal organizada do clube.

Confira abaixo a tabela com o desempenho do São Paulo em suas dez primeiras partidas oficiais nas últimas 19 temporadas:



Conteúdo publicado originalmente no site Lance!