Publicada em 05/02/2018, às 14:34

Adaptação e time evoluindo: Diego Souza explica seu 1º gol no Morumbi

No sábado, o camisa 9 balançou as redes pela segunda vez no clube, a primeira no estádio do São Paulo, e elogiou até a estrutura que encontrou na equipe para enaltecer o time

(Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

No sábado, ao abrir o placar na vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo de Ribeirão Preto, Diego Souza fez o seu segundo gol pelo São Paulo, o primeiro no Morumbi. E o camisa 9, que comemorou fazendo o gesto da principal organizada do clube e simulando engraxar a chuteira de Reinaldo, responsável pela assistência, enumera explicações para ter balançado as redes.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Comprado do Sport por cerca de R$ 10 milhões, Diego Souza se apresentou para iniciar a pré-temporada quase uma semana depois dos colegas. Mas ele garante estar adaptado não só ao novo clube, mas, também, à função de ser referência no ataque, como chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira no ano passado e como tem chances de sonhar com vaga na Copa do Mundo.

- Estou me adaptando. Na verdade, aqui não tem dificuldade de adaptação. Fui bem recebido por todos desde o início. O clube tem uma estrutura maravilhosa e profissionais dedicados, que me receberam com muito carinho. Fora isso, em campo, é uma função um pouco nova, mas que já fiz algumas vezes.

A adaptação rápida, contudo, é apenas parte da explicação por ter feito dois gols em cinco jogos no Tricolor. Diego Souza vem assumindo um papel de liderança no elenco, com um perfil que reforçou a intenção da diretoria em contratá-lo. Por isso, o jogador aponta relação do seu desempenho com a melhora que enxerga no time em campo.

- Fiquei feliz por ter feito o meu primeiro gol no Morumbi, mas o mais importante é a evolução que a equipe está tendo. Estamos crescendo como time, e o conjunto tem dado liga. As oportunidades têm aparecido, e é preciso ter tranquilidade para fazer os gols.

No sábado, contra o Botafogo de Ribeirão Preto, a melhora veio depois do intervalo. O primeiro tempo do São Paulo foi ruim e digno de vaias de quem foi ao Morumbi, mas, com cinco minutos da etapa final, Diego Souza balançou as redes e pôde dar mais tranquilidade a time e torcida.

- No segundo tempo, tivemos mais possibilidades de gols, nos encontramos melhor, e isso mostrou o nosso crescimento como equipe, que é importante - comemorou Diego Souza.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!

Publicada em 22/02/2018, às 19:24

Reunião 'de praxe' nesta quinta pode definir futuro de Dorival no São Paulo

Pressionado e com a cabeça pedida por torcedores, o técnico falará com dirigentes no CT, como é costume nos dias seguintes a jogos; tendência é de que a conversa seja por ajustes

Dorival Júnior terá conversa com o diretor executivo Raí nesta quinta-feira (Foto: Divulgação/SPFC)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Cerca de 12 horas depois de a torcida receber o time com gritos pedindo, principalmente, a saída de Dorival Júnior, uma reunião que seria de praxe no CT da Barra Funda pode redefinir os rumos do São Paulo na temporada. O técnico conversará com a diretoria, como é rotina nos dias seguintes aos jogos, e o encontro deve ter tom mais duro do que costuma.



A derrota para o Ituano, nessa quarta-feira, foi a segunda seguida, e a quarta em oito rodadas do Campeonato Paulista. Ficou claro para a diretoria que a equipe, que chegou a vencer quatro seguidas recentemente, está longe de agradar e até de mostrar a evolução tão apontada pelo treinador. Esse ponto de vista deve ser reforçado por Raí, diretor executivo de futebol, e Ricardo Rocha, coordenador de futebol, nesta quinta.

Apesar da pressão vinda da torcida e também de conselheiros próximos ao presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, a tendência ainda não é de demissão de Dorival Júnior. Raí não pretende mostrar que cede aos protestos de torcedores e ainda acredita que uma mudança no comando neste momento pode não ser benéfica.

Dorival deve ser ouvido a respeito de seus planos para que a evolução que tanto enxerga seja vista dentro de campo. Ficou claro para os dirigentes que ele se sente em uma encruzilhada entre manter suas convicções táticas e usar os reforços trazidos pela diretoria. Por isso, é provável que ganhe uma espécie de último voto de confiança para colocar em campo os atletas que preferir, sem se sentir pressionado a escalar nomes que não pediu, como Nenê.



A reunião ocorrerá pouco antes da reapresentação do elenco, marcada para 15h30 desta quinta-feira. Já estava previsto e divulgado desde o começo da semana que a imprensa não terá acesso a esta atividade. Na programação divulgada pelo clube, os jornalistas poderão estar no CT só no treinamento da manhã desta sexta-feira.

Grande com pior campanha no Campeonato Paulista, sendo o terceiro clube que mais perdeu jogos no torneio, o São Paulo vem de derrotas para Santos e Ituano e enfrenta a Ferroviária, às 17h de domingo, no Morumbi. Na próxima semana, o clube ainda deve iniciar os duelos pela terceira fase da Copa do Brasil, jogando em casa contra o CRB, de Alagoas.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!