Publicada em 03/02/2018, às 10:58

Dourado tem mais poder ofensivo fora de casa, ponto fraco do Fla na Libertadores-17

Flamengo perdeu as três como visitante no ano passado. Pelo Fluminense, novo contratado teve o dobro de participação em gols longe de seus domínios na temporada comparado a Guerrero

CLIQUE AQUI e receba notícias do Flamengo direto no seu Messenger.

Na última temporada, o desempenho fora de casa pesou contra o Flamengo nas principais competições que disputou, sobretudo na Copa Libertadores, da qual foi eliminado na primeira fase com três derrotas nos domínios de seus adversários. Ainda perdeu a final da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, em Belo Horizonte, e a derrota em Buenos Aires acabou definindo a favor do Independiente a decisão da Sul-Americana.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Mudar o panorama fora de casa é fundamental. A esperança pode ser Henrique Dourado, a bola da vez no ataque rubro-negro. Ele teve importância decisiva pelo Fluminense atuando como visitante, e essa característica traz novas esperanças na competição continental. É o que mostram os números da última temporada.

Assim como o agora "Ceiflador", o peruano também viveu em 2017 o ano mais artilheiro de sua carreira, porém, suas melhores partidas foram quase sempre atuando no Rio de Janeiro. Guerrero marcou 20 gols, e deu sete assistências, participando diretamente de 21% dos tentos de seu time na temporada, porém, 70% das vezes em que Paolo balançou as redes, o Flamengo jogava em casa. Nas 21 partidas como visitante ele marcou apenas seis vezes.

Dourado balançou as redes 32 vezes e serviu seus companheiros para marcarem três gols. Teve participação direta em 30% dos gols do Fluminense. Mas quando analisados apenas as partidas fora de casa, a participação em gols sobe para 31%, como se vê no gráfico abaixo.

(Foto: Espião Estatístico)



Pênaltis e gols decisivos

Grande destaque do Tricolor em 2017, Dourado foi implacável na marca do pênalti, convertendo 100% das 11 cobranças. Além disso, o artilheiro marcou 21 gols de bola rolando. Já Guerrero fez a grande maioria de seus gols com a bola rolando (16). O camisa 9 rubro-negro, que não é o cobrador oficial da equipe, desperdiçou um pênalti e converteu outros dois. Entretanto, mostrou evolução nas cobranças de falta, balançando as redes em duas oportunidades.

Henrique fez muito mais gols no primeiro tempo do que no segundo. Foram 22 bolas na rede na primeira etapa das partidas e apenas dez na parte final. Enquanto Guerrero marcou mais vezes na parte decisiva (11 gols no segundo tempo e 9 no primeiro). Essa característica de fazer gol no primeiro tempo fez crescer sua importância como jogador decisivo.

O Espião Estatístico considera como "gols decisivos" aqueles marcados quando o time está empatando ou perdendo por um gol de diferença. Como mandante, o desempenho de ambos foi idêntico, cada teve participação direta em 12 gols. Mas fora de casa, a diferença é muito significativa. Dourado participou diretamente, com finalizações ou assistências, de 13 gols decisivos, e Paolo, de apenas quatro.

(Foto: Espião Estatístico)



Os dois atacantes foram muito importantes para suas equipes no ano passado. Pelo Flamengo, Paolo Guerrero fez 44 partidas, com 26 vitórias, 12 empates e seis derrotas, aproveitamento de 68% dos pontos disputados. Nas partidas em que ele não atuou, o aproveitamento do Rubro-negro caiu para 50%. Henrique Dourado acumulou 59 jogos pelo Fluminense, com 24 vitórias, 18 empates, 17 derrotas e um aproveitamento de 51%, que caiu para 37% nos jogos em que o Ceifador não atuou.

Apesar de ter disputado mais partidas que o peruano, Dourado precisou de menos tempo em campo para balançar a rede. Em média, Guerrero precisou de 197 minutos para marcar, enquanto Henrique marcou um gol a cada 159 minutos em campo. As cobranças de pênalti influenciam diretamente esse número, sem dúvida, mas é provável que o recém-contratado também seja o cobrador oficial do Flamengo, um mérito técnico que é dele.

(Foto: Espião Estatístico)



Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 22/02/2018, às 21:31

Presidente do Corinthians acusa Guerrero de repetir 'saída pelos fundos' no Flamengo

Segundo Andrés Sánchez, atacante peruano está tentando 'vender seu passe'

Guerrero teve contrato com o Flamengo suspenso (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)



Mesmo sem jogar no Flamengo, o atacante Paolo Guerrero pode estar tentando forçar sua saída do clube, segundo a opinião do presidente do Corinthians, Andrés Sánchez, que deu a entender que o peruano já fez o mesmo no time paulista.



O dirigente afirma que o Corinthians não tem interesse em recontratar o atacante, que viveu boa passagem pela capital paulista e é considerado ídolo da torcida, principalmente por conta do gol do título mundial, contra o Chelsea.

"Ele (Guerrero) quer revender o passe dele, o contrato acaba em agosto (Flamengo), está fazendo com o Flamengo o que fez com a gente. Ele que vá no Peru e revende lá", disse, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Por conta de sua suspensão por doping, Guerrero está fora dos gramados até o mês de maio deste ano. A Agência Mundial Antidoping (Wada) ainda tenta recorrer e prolongar a punição para um ano.



Conteúdo publicado originalmente no site O Dia