Publicada em 01/02/2018, às 14:01

Vasco revive 4 gols em jogo internacional fora: última vez foi na épica Mercosul-2000

Goleada sobre o Universidad de Concepción-CHI encaminhou a classificação do Gigante da Colina para a terceira fase da Libertadores, quando vai encarar Oriente Petrolero ou Jorge Wilstermann

Vasco campeão da Copa Mercosul no ano 2000 (Foto: GloboEsporte.com)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Vasco direto no seu Messenger.

A estreia na Libertadores deste ano foi melhor do que muito vascaíno esperava pelo momento conturbado que o clube ainda vive na sua política interna, como também pela reformulação que o elenco está sofrendo. Afinal de contas, a expressiva vitória por 4 a 0 - com dois gols de Evander, além de Pikachu e Rildo - sobre o Universidad de Concepción, fora de casa, praticamente garantiu a classificação para a terceira fase do principal torneio da América do Sul, quando irá enfrentar o vencedor do confronto boliviano entre Jorge Wilstermann e Oriente Petrolero. Na partida de volta, marcada a próxima semana, em São Januário, a equipe comandada pelo técnico Zé Ricardo pode perder até por três gols de diferença.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Para a torcida, o resultado teve um sabor ainda mais especial, com toques de nostalgia, pois o último triunfo no qual o Gigante da Colina marcou quatro gols atuando fora de casa por uma competição internacional tinha sido na épica final da Copa Mercosul, em 2000, quando derrotou o Palmeiras de virada por 4 a 3, no antigo Palestra Itália, após terminar a primeira etapa perdendo por 3 a 0. A equipe comandada pelo técnico Joel Santana tinha jogadores como Jorginho, Júnior Baiano, Mauro Galvão, Elton, Viola, Romário, Euller, Juninho Paulista e Juninho Pernambucano. Foram três gols do Baixinho e outro do Juninho Paulista.

Adversários à parte, o comentarista Tim Vickery ressaltou a baixa qualidade no futebol apresentado pelos times chilenos.

- No futebol sul-americano não tem país com retrospecto pior na Libertadores que o Chile nos últimos cinco anos, apesar do bom momento vivido pela sua seleção nacional. Da mesma forma que no Brasil, o futebol dos clubes é diferente da Seleção, no futebol chileno acontece a mesma coisa. Futebol de clubes no Chile tem sido muito fraco nos últimos anos.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 09/02/2018, às 09:43

Dinamite se emociona com retorno a São Januário: 'Minha casa'

Ídolo e ex-presidente do clube voltou ao estádio convidado pelo atual mandatário Alexandre Campello após três anos afastado na gestão Eurico Miranda

(Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Vasco direto no seu Messenger.

Roberto Dinamite é o maior ídolo da história do Vasco. O ex-atacante marcou 644 gols em 955 jogos com a camisa Cruz-Maltina e foi presidente do clube por seis anos. Após três anos sem pisar em São Januário, Dinamite retornou ao local convidado pelo atual mandatário Alexandre Campello e se emocionou com o carinho dos torcedores.



- São Januário sempre foi a minha casa. Eu comecei lá com 14 anos, parei com 38 e depois fui presidente do clube. Não tenho grupo A, B ou C na política do clube. O Vasco é maior e está acima de tudo isso. Não fui nos últimos anos porque nunca tinha sido convidado. O atual presidente me convidou, o Campello trabalhou comigo e não tenho problema nenhum com ele - disse Dinamite, ao LANCE!, antes de completar:

- Foi muito legal retornar a São Januário. O torcedor me recebeu bem. Eu me emocionei, fiquei muito feliz. Pode parecer simples, mas esse convite me fez muito bem.

No rápido papo com a reportagem, Dinamite evita o assunto política do clube. Antes mesmo de ser questionado sobre o assunto, Roberto já deixou clara sua posição:



- No que eu puder ajudar, eu vou ajudar. Posso garantir que não vou atrapalhar e creio que se todos que estão envolvidos pensarem assim, vai dar certo. Torço para a atual diretoria, o Vasco e a sua torcida merecem dias melhores.

ELOGIOS A PAULINHO E EVANDER E PEDIDO POR REFORÇOS

Dois jogadores do atual elenco vascaíno foram destacos por Dinamite: os jovens Paulinho e Evander. O bom desempenho dos meninos que vieram da base fez Roberto lembrar do tempo em que trabalhou com alguns deles enquanto presidente:

- O Paulinho está aí marcando história como o jogador mais novo da história do Vasco a marcar na Libertadores. O Evander teve paciência para esperar o momento dele de brilhar. É muito legal ver essa molecada brilhando, 90% deles estiveram com a gente na base, isso mostra que o trabalho foi bem feito.

Sobre o time atual na Libertadores, Roberto manteve os elogios para o trabalho do técnico Zé Ricardo, mas ressaltou que as próximas fases serão muito complicadas e que o atual elenco precisa de reforços.

- A expectativa é boa. Temos que pensar grande, os adversários dessa fase preliminar não são do mesmo nível que o Vasco pode encarar lá na frente, mas o time está bem, o trabalho do Zé Ricardo é excelente. A garotada está dando conta do recado. Acho que mais pra frente é necessário que venham reforços, mas os meninos estão muito bem - finalizou.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!