Publicada em 01/02/2018, às 13:58

Kazim ou Júnior Dutra? Após testes, Carille não confirma titular do Corinthians

Técnico usa os dois em treino tático nesta quinta; contra o Novorizontino, no domingo, Henrique está fora, e Sheik começa no banco

Kazim (à esq.) e Carille trabalham no CT (Foto: Daniel Augusto Júnior/Ag. Corinthians)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Corinthians direto no seu Messenger.

Henrique não estreará pelo Corinthians contra o Novorizontino, no domingo – o zagueiro ainda aprimora a parte física. Emerson Sheik poderá pintar no ataque, mas durante a partida. Foi o que Fábio Carille revelou na entrevista coletiva desta quinta-feira, no CT. Mas quem começará como titular na frente: Kazim ou Júnior Dutra? Essa dúvida ficou sem resposta...

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





– Primeiro, peço que o torcedor acredite em quem está aqui. Fazemos pensando no melhor para o Corinthians. E não escuto (as reclamações contra o Kazim). Se escutasse, não teria o escalado contra o Avaí. Respeito todos os atletas, não desisto de nenhum. Se vai começar jogando ou não, não quer dizer que está fora. Está abaixo? Está. Tem outros que precisam melhorar? Tem. Vou dar todo o suporte para que ele vá bem – afirmou Carille.

A partida contra o Avaí, a que o técnico se referiu, aconteceu em 11 de novembro do ano passado: com um gol de peito de Kazim, o Corinthians venceu e ficou a uma vitória do título brasileiro – o que aconteceu no jogo seguinte, contra o Fluminense.

Na manhã desta terça-feira, Carille comandou um treino tático num dos campos do CT que fica afastado de onde trabalham os jornalistas. No início da atividade, com a mesma escalação que entrou em campo na vitória sobre o São Paulo, no sábado, Kazim era titular. Cerca de meia hora depois, o técnico testou Júnior Dutra.

Depois do clássico, Carille tinha dado indicações de que pode fazer essa mudança – o GloboEsporte.com publicou que Júnior Dutra começará a partida contra o Novorizontino, no interior paulista.

Em quatro jogos no Paulistão, Kazim foi titular em três. Júnior Dutra entrou durante essas partidas e foi titular em outra, quando os titulares foram poupados – fez um gol.

Carille também elogiou a dedicação de Emerson Sheik nos treinamentos. O atacante de 39 anos, que voltou ao Corinthians após brilhar nas conquistas da Libertadores e do Mundial de 2012, será relacionado pela primeira vez:

– Conheço o Sheik, está trabalhando bem. Dependendo do que o jogo mostrar, pode aparecer no jogo. Trabalhei com ele em todo o período no Corinthians. É um amigo, um cara privilegiado fisicamente. São impressionante os testes de força. Ele não vai suportar 90 minutos. Se estiver bem, vou segurar mais uns cinco anos, pra jogar até os 44 (risos). Ele está se dedicando demais. Vamos ter jogos enroscados, de Libertadores, e ele vai ser muito importante para nós.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 09/02/2018, às 11:28

Júnior Dutra, do Corinthians, volta ao palco de parceria com Marcelinho Carioca

Atacante viveu parceria com o ídolo da Fiel entre 2008 e 2009 no Santo André

Junior Dutra será mantido no ataque do Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Corinthians direto no seu Messenger.

O jogo desta sexta-feira, às 19h, no Bruno José Daniel, será especial para Júnior Dutra, do Corinthians. Oito anos depois de deixar o Santo André rumo ao futebol japonês, o atacante volta ao ABC paulista para enfrentar sua primeira equipe profissional pela sexta rodada do Paulistão.



– Tenho um carinho e respeito muito grande pelo Santo André. Consegui ter uma projeção nacional atuando em competições importantes como o Paulistão e a Série A. Aprendi muito lá, o elenco tinha jogadores experientes e pude evoluir.

Um dos jogadores experientes com quem Dutra atuou no Ramalhão foi Marcelinho Carioca, um dos maiores ídolos da história do Corinthians, em seu último ano de carreira profissional, aos 37 anos. Juntos, conseguiram o acesso para a Série A do Brasileiro em 2008. No ano seguinte, não conseguiram evitar a volta do clube para a Segunda Divisão.

– Joguei com o Marcelinho Carioca, que foi meu padrinho no futebol, no Santo André. Eu admirava muito ele, e depois jogamos juntos – citou Dutra, na chegada ao Corinthians.



Goleiro atual do Ramalhão, Neneca fazia parte do elenco em que Junior Dutra e Marcelinho Carioca atuaram. O técnico Sérgio Soares é outro velho conhecido do atacante corintiano.

Depois de deixar o Ramalhão, Dutra partiu para o futebol japonês (jogou por Kyoto Sanga e Kashima Antlers), passou pela Bélgica (no Lokeren), Qatar (no Al-Arabi) e voltou ao Brasil em 2016 para jogar pro Vasco e, depois, Avaí. Aos 30 anos, diz viver o auge da carreira no Corinthians.

– É o maior do futebol brasileiro. Estou me adaptando muito bem, até porque temos uma estrutura espetacular e o time é muito bom, rápido, de toque de bola e que encaixa bem com o meu jogo. Venho conquistando o meu espaço e a torcida tem me apoiado bastante. Quero escrever uma bonita história nesse time que estou realizando o sonho de defender – afirmou.

Ainda sem um reforço para o ataque, Fábio Carille tem dado sequência para Dutra no ataque do Timão. Kazim, que começou a temporada como titular, perdeu espaço e será opção no banco.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte