Publicada em 01/02/2018, às 14:03

Cruzeiro no "grupo da morte": Robinho admite torcer contra Vasco na Libertadores

Meia celeste prefere evitar o time carioca no torneio, mas ressalta: "Que venham os melhores"

(Foto: Juliana Flister/Lightpress/Cruzeiro)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Cruzeiro direto no seu Messenger.

O Grupo 5 da Libertadores tem Cruzeiro, Racing-ARG, Universidad de Chile e… ainda não sabemos qual será o quarto integrante. Certo é que ele virá das primeiras fases do torneio e que pode ser o Vasco. Na quarta-feira, o time carioca goleou o Universidad de Concepción, fora de casa, e tem a classificação à próxima etapa encaminhada. Entretanto, ainda terá que enfrentar o Oriente Petrolero-BOL ou Jorge Wilstermann-BOL para garantir um lugar na fase de grupos. Robinho, porém, não quer que o cruz-maltino se classifique.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





- Acho que vai ser o Vasco sim. Confesso que eu não gostaria que fosse o Vasco. Não queria que eles passassem. Mas acho que vão ser eles, pelo jogo que fizeram ontem (quarta-feira). Praticamente passaram. Depois também vão ter uma pedreirinha, mas vão passar. Realmente é o grupo da morte. Mas a gente está preparado. Para ser campeão, tem que estar preparado. Que venham os melhores.

De fato, o grupo do Cruzeiro é considerado um dos mais complicados desta edição da Libertadores. Para o goleiro Fábio, independentemente dos adversários, a competição continental sempre será difícil de se vencer. Ele também ressalta a força dos times argentinos e brasileiros, maiores campeões da história do torneio, com 24 e 18 títulos, respectivamente.

- Principalmente com as equipes da Argentina: geralmente são francos concorrentes à disputa do títulos. Todo ano essas equipes, junto com as do Brasil, são as fortes e tradicionais dentro da competição. Temos que ter a consciência que vamos ter bastante dificuldade fora de casa. A evolução diária que estamos tendo é muito boa. Vamos ter um nível muito bom de entrosamento, em todos os aspectos. Esperamos começar com o pé direito.

A Libertadores é o principal objetivo do Cruzeiro em 2018. Porém, o time não vai deixar de lado outras competições. É o que garante Fábio. A estreia do clube celeste no torneio será no dia 27, diante do Racing, na Argentina.

- A Libertadores gera, em todos os torcedores, e em todos nós no Cruzeiro, uma expectativa muito grande. A última (que o Cruzeiro conquistou) foi em 97, estivemos muito próximo de ganhar o tri em 2009. Neste ano, dentro de tudo o que vem sendo planejado, gera, com certeza, expectativa. Mas temos que conciliar as outras competições. Focar dentro de cada competição, para não deixarmos nada a desejar. Usufruir dessas competições e agregar força. Isso vai nos favorecer e ajudar a ficarmos mais perto dos nossos objetivos, que são os títulos.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 23/02/2018, às 12:05

Cruzeiro faz força-tarefa para evitar novas lesões e programa volta de Dedé

(Foto: Washington Alves/Cruzeiro)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Cruzeiro direto no seu Messenger.

Uma preparação especial para evitar novas lesões. O Cruzeiro programou uma série de treinos para fortalecer a musculatura de Dedé e impedir que o atleta volte a sofrer com problemas físicos. No sábado (24), ele deve fazer seu primeiro jogo como titular da equipe desde a recuperação.



Foi comum, sobretudo durante a pré-temporada, vê-lo treinando à parte. O zagueiro foi o único do elenco a treinar todos os dias na Toca da Raposa II. Mesmo durante as viagens do grupo, lá estava o defensor em sua rotina especial.

O foco dos trabalhos foi deixar as articulações dos joelhos mais resistentes. Nos bastidores, há muita preocupação em relação à condição física do atleta. O calvário de lesões de Dedé se iniciou em novembro de 2014. Desde então, ele fez apenas 12 partidas e acumulou problemas nos dois joelhos.

Para evitar que o jogador volte a sofrer com os problemas, Dedé foi acompanhado de perto por Sérgio Campolina, chefe do departamento médico do clube, e Emerson Polimeno, novo preparador físico da equipe. A dupla teve a incumbência de fazer o cronograma de Dedé e também de obrigá-lo a reduzir o ímpeto nas atividades.



"Essa sequência de treino foi até analisada pelos setores de fisiologia, fisioterapia e pelos médicos. Para isso, tive de fazer vários testes. Esse período todo de treinamento foi de muita evolução, me deu muita confiança. Graças a Deus estou treinando sem dor desde que comecei a fisioterapia. Tanto que fui até rápido trabalhar a parte física", declarou.
"No ano passado também estava me sentindo bem, mas tinha desequilíbrio do lado esquerdo. Aí sobrecarregou. E mesmo com o desequilíbrio no ano passado, acho que fiz bons jogos, sendo até eleito pela imprensa como melhor em campo. Mas nessa nova etapa estou me sentindo bem, diferentemente do ano passado", concluiu.

Conteúdo publicado originalmente no site UOL Esporte