Publicada em 01/02/2018, às 16:46

À espera de regularização, Nenê e Tréllez treinam finalizações no São Paulo

Dupla precisa ser inscrita no BID para poder estrear

Nenê e Tréllez treinam no São Paulo (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Nenê e Tréllez não pararam de trabalhar no São Paulo. Enquanto o time bateu o Madureira, por 1 a 0, pela primeira fase da Copa do Brasil, os dois continuaram treinando no CT da Barra Funda.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





O meia e o atacante aprimoraram finalizações na quarta e quinta de manhã, ao lado de outros jogadores que não foram relacionados – o elenco retornou de Londrina nesta quinta à tarde.

– Desde que estejam legalizados, estarão conosco. Essa é a previsão. Tenho de aguardar a documentação. São dois jogadores que conheço: o Nene conheço desde o início, ainda no Paulista de Jundiaí, quando eu era auxiliar técnico e ele foi lançado. Já o Tréllez foi uma grata surpresa no Campeonato Brasileiro. Ambos vieram qualificar o elenco – disse Dorival, na última quarta-feira.

Nenê e Tréllez precisam ser regularizados no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF para ficarem à disposição do técnico Dorival Júnior.

O próximo compromisso do Tricolor é contra o Botafogo de Ribeirão Preto, neste sábado, às 17h, no Morumbi, pela quinta rodada do Paulistão. O time é o segundo colocado do Grupo B, com quatro pontos, dois abaixo da Ponte Preta.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 23/02/2018, às 13:59

Crônicas do Morumbi: Jardine, o ponto futuro de Dorival no São Paulo

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Dorival não caiu de fato, mas ele ainda comanda a equipe? Segue mantido único e exclusivamente pela posição de Raí, que acredita em uma evolução do trabalho. Leco queria a demissão, no entanto, perder o apoio de Raí pesou para recuar e proporcionar uma sobrevida a Dorival.



A manutenção do técnico pode ser analisada por dois ângulos opostos: uma seria pela honra, o apoio de Raí; outra, pela situação humilhante, com a permanência vinculada ao bom resultado e desempenho na próxima rodada.

Impossível mensurar até que ponto Raí tem real convicção no trabalho de Dorival. A impressão pairante é que o ídolo tricolor segurou Dorival para não deixar a imagem que rapidamente cedeu à pressão das arquibancadas.

Enquanto isso, as luzes dos corredores do Morumbi seguem se apagando à medida em que Dorival caminha. Os refletores miram Jardine, que deverá ser promovido a auxiliar técnico do time principal.



A ascensão de Jardine pela diretoria instaurará uma questão freudiana para Dorival resolver: Além de prazo para mostrar resultado, Dorival aceitará o rebaixamento de seu filho do cargo para ceder espaço ao multicampeão da base?

Como um dia Cláudio Coutinho denominou o overlapping como a possibilidade de se fazer uma jogada sem a bola; nos campos políticos dos clubes, também é é possível construir um novo cenário a partir de uma simples movimentação.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!