Publicada em 31/01/2018, às 12:21

Visitante? São Paulo tem vantagem e histórico favorável em Londrina

Adversário da partida única válida pela primeira fase da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, Madureira vendeu mando e deixa o Tricolor cheio de vantagens para seguir no torneio

São Paulo tem quase 80% de aproveitamento em Londrina, local do jogo desta quarta (Rubens Chiri/saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Na primeira fase da Copa do Brasil, a CBF estipula como única vantagem para os mandantes o fato de atuar em casa, já que o visitante precisa apenas empatar o jogo único desta etapa para seguir no torneio. O Madureira, do Rio de Janeiro, preferiu aceitar uma proposta financeira para levar a partida para Londrina. E acabou deixando o São Paulo completamente à vontade no confronto das 21h45 desta quarta-feira.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Na cidade paranaense, o retrospecto tricolor é amplamente favorável. Em sua história, o clube atuou no município 13 vezes, acumulando dez vitórias, um empate e somente duas derrotas, com um aproveitamento de 79,5% dos pontos que disputou. Especificamente no Estádio do Café, local do jogo desta noite, são cinco partidas, com três triunfos, uma igualdade e um revés.

As derrotas do Tricolor na cidade ocorreram em 15 de novembro de 1956, por 3 a 2, para o Londrina, em amistoso, no estádio Jandira, e por 2 a 0 para o Palmeiras, em 23 de maio de 1984, durante o Torneio Nacional de Londrina, já no Estádio do Café. O único empate do clube no município ocorreu também no Estádio do Café: 0 a 0 diante do Londrina, em 1º de setembro de 1976, pelo Campeonato Brasileiro.

O último compromisso são-paulino no Estádio do Café ocorreu também em etapa inicial da Copa do Brasil, no ano passado. Em 1º de março, pela segunda fase do torneio, a equipe, então comandada por Rogério Ceni, goleou o PSTC, do Paraná, por 4 a 2, com três gols de Cícero, que rescindiu com o clube seis meses depois, e outro de Cueva, afastado do jogo desta quarta-feira por opção da diretoria após se recusar a ficar no banco na semana passada.

O cenário favorável ao Tricolor só complica ainda mais uma tarefa que já seria difícil para o Madureira, que tem como centroavante o veterano Souza "Caveirão" (35 anos, ex-Vasco, Flamengo e Corinthians). Justamente no primeiro confronto da história do clube carioca diante do São Paulo, a fase parece que não poderia ser pior.

A equipe é a lanterna do Grupo C da Taça Guanabara no Estadual, sem nenhuma vitória ou chance de se classificar, com o segundo pior ataque da competição (três gols) e uma das defesas mais vazadas (cinco gols). Não bastasse isso, o técnico Paulo Cesar Gusmão, vaiado pelos torcedores, alegou problemas particulares e pediu demissão na segunda-feira.

Na teoria, tudo caminha para uma missão pouco complicada para Dorival Júnior se recuperar da derrota para o Corinthians, no último sábado, diminuir as críticas que já vem recebendo, após só quatro jogos na temporada, e seguir vivo na Copa do Brasil. Ao mesmo tempo, uma derrota para o Madureira aumenta demais a pressão. Se o São Paulo se sente em casa em Londrina, um fracasso ecoará no técnico com a força de um Morumbi lotado.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!

Publicada em 09/02/2018, às 11:11

Dorival pode atingir marca que foi batida pela última vez por Muricy Ramalho no São Paulo

Caso vença o duelo da próxima quarta-feira, contra o CSA, pela Copa do brasil, técnico alcançará uma marca inatingível desde março de 2015

(Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Pela segunda vez, Dorival Jr está próximo de quebrar um longo jejum no comando do São Paulo desde que chegou ao Morumbi. Vindo de três vitórias consecutivas, o treinador, caso vença o duelo da próxima quarta-feira, contra o CSA, pela Copa do brasil, alcançará uma marca inatingível desde março de 2015, quando Muricy Ramalho ainda estava à frente do Tricolor.



Na época, o São Paulo acabou superando o São Bento, Ponte Preta, San Lorenzo, este pela Libertadores, e Marília, somando quatro vitórias consecutivas. Ainda assim, não conseguiu alçar voos altos na temporada e teve de se contentar com mais um ano sem qualquer título conquistado.

Em 2017, já sob o comando de Dorival Jr, o São Paulo esteve muito próximo de vencer quatro jogos de maneira consecutiva. Foi na reta final do Campeonato Brasileiro. Depois de superar Flamengo, Santos e Atlético-GO, bastava ao Tricolor levar a melhor sobre a Chapecoense, no Pacaembu, para acabar com o jejum, no entanto, o time catarinense conseguiu sair de campo com um empate em 2 a 2.

Vindo de triunfos sobre Madureira, Botafogo-SP e Bragantino, Dorival Jr, ainda assim, tenta se livrar de uma vez por todas da grande pressão que se instalou no clube neste início de temporada. Para isso, o comandante são-paulino trabalhará duro neste Carnaval para que sua equipe, enfim, chegue à quarta vitória consecutiva. Mais do que o jejum, o resultado é de extrema importância pelo fato de o próximo jogo da equipe ser válido pela segunda fase da Copa do Brasil, contra o CSA, de Alagoas.



Conteúdo publicado originalmente no site Fox Sports