Publicada em 31/01/2018, às 11:45

Entenda por que o volante Hudson ainda não voltou a jogar pelo São Paulo

Jogador está relacionado para enfrentar o Madureira nesta quarta-feira

Hudson está relacionado para enfrentar o Madureira (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Hudson está com o São Paulo em Londrina, onde o time enfrentará o Madureira, nesta quarta-feira, às 21h45, pela primeira fase da Copa do Brasil.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Recuperado de uma lesão sofrida no músculo adutor da coxa direita, no fim do ano passado, pelo Cruzeiro, ele está sendo relacionado pela segunda vez em 2018 (antes ficou no banco diante do Corinthians). O volante, que completou 30 anos na terça, diz ainda sentir dores.

– Eu ainda não estou 100%. Ainda sinto um pouquinho de dor para chutar a bola ou às vezes para abrir a perna. Os médicos passaram que é absolutamente normal. Só com o passar dos treinos e jogos vou voltar a estar 100% – disse Hudson, no sábado, após o duelo com o Corinthians.

Com Petros suspenso (gancho do STJD de dois jogos pela expulsão contra o Bahia no fim de 2017), o técnico Dorival Júnior escalou Araruna para o time titular no treino de segunda-feira, no CT da Barra Funda. A atividade de terça foi fechada para a imprensa.

De volta ao Tricolor após ser campeão da Copa do Brasil com o Cruzeiro, em 2017, o volante fez uma análise do que mudou desde a sua saída.

– O time era muito diferente. A comissão técnica mudou e os jogadores também. Da minha época se tem dois ou três são muitos. O Dorival tem ideias e propostas boas. Foi importante manter a comissão e a base que fez um bom segundo turno para as coisas darem certo neste ano. Claro que houve saídas e o time precisa se readaptar, mas estamos no caminho certo. O time tem uma ideia e assimila bem o que ele (Dorival) passa. Com um detalhe ou outro teremos resultados melhores – disse.

Hudson também aprovou as contratações de Nenê e Tréllez – a dupla ainda não ficará à disposição, pois seguirá a programação da comissão técnica e precisa ser regularizada no BID.

– É importantíssimo chegar jogadores para agregar. Houve saídas importantes (Hernanes e Pratto são algumas delas), então é bom entrarem novos atletas também para ajudarem.

Copa do Brasil

Nas duas primeiras fases, haverá apenas jogos de ida. O mando de campo será do time de pior colocação no ranking da CBF – no caso, o Madureira, que levou o jogo para Londrina atrás de uma renda maior. Em caso de empate nesta quarta-feira, o visitante (São Paulo) avançará. Na segunda fase, o empate será decidido nos pênaltis.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 23/02/2018, às 13:59

Crônicas do Morumbi: Jardine, o ponto futuro de Dorival no São Paulo

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Dorival não caiu de fato, mas ele ainda comanda a equipe? Segue mantido único e exclusivamente pela posição de Raí, que acredita em uma evolução do trabalho. Leco queria a demissão, no entanto, perder o apoio de Raí pesou para recuar e proporcionar uma sobrevida a Dorival.



A manutenção do técnico pode ser analisada por dois ângulos opostos: uma seria pela honra, o apoio de Raí; outra, pela situação humilhante, com a permanência vinculada ao bom resultado e desempenho na próxima rodada.

Impossível mensurar até que ponto Raí tem real convicção no trabalho de Dorival. A impressão pairante é que o ídolo tricolor segurou Dorival para não deixar a imagem que rapidamente cedeu à pressão das arquibancadas.

Enquanto isso, as luzes dos corredores do Morumbi seguem se apagando à medida em que Dorival caminha. Os refletores miram Jardine, que deverá ser promovido a auxiliar técnico do time principal.



A ascensão de Jardine pela diretoria instaurará uma questão freudiana para Dorival resolver: Além de prazo para mostrar resultado, Dorival aceitará o rebaixamento de seu filho do cargo para ceder espaço ao multicampeão da base?

Como um dia Cláudio Coutinho denominou o overlapping como a possibilidade de se fazer uma jogada sem a bola; nos campos políticos dos clubes, também é é possível construir um novo cenário a partir de uma simples movimentação.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!