Publicada em 31/01/2018, às 16:18

De volta, Riascos se derrete pelo Vasco: "Significado muito grande"

Colombiano retorna com boa aceitação da torcida e conta que sempre pensou em defender novamente o time. Agora, tem missão na Libertadores

Riascos durante treino do Vasco em Concepción (Foto: Carlos Gregório Jr. / Vasco)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Vasco direto no seu Messenger.

A separação durou um ano e nove meses. Mas Riascos e Vasco se reencontraram. Querido pela torcida, o atacante voltou ao clube em 2018 e é uma das principais contratações do Cruz-Maltino para a Libertadores. A estreia será nesta quarta-feira, contra a Universidad de Concepción, no Chile.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Riascos conhece bem a Libertadores e ficou conhecido no Brasil na edição de 2013. Foi um dos destaques do Tijuana, mas, apesar dos três gols que fez, acabou marcado pelo pênalti que perdeu contra o Atlético-MG no último minuto da semifinal – se fizesse, teria eliminado o Galo, que se sagrou campeão.

Aquela foi a primeira Libertadores de Riascos. Agora, mais experiente, ele acredita que pode ajudar o Vasco. Afinal, tanta força para voltar não pode ter sido em vão.

- Meu filho mais novo, Alessandro, é carioca. Meu outro filho mais velho, Paulinho, e minha esposa também gostaram muito do Rio de Janeiro. E a torcida sempre mostrou carinho por mim. Por isso sempre quis voltar – explicou Riascos ao GloboEsporte.com, após o treino de reconhecimento no Estádio Municipal de Concepción.

Em sua primeira passagem, Riascos viveu altos e baixos. Começou mal e não convenceu no Brasileiro de 2015, quando o time foi rebaixado. No ano seguinte, porém, deslanchou e foi o artilheiro da equipe na conquista invicta do Campeonato Carioca, com 10 gols em 17 jogos. Logo depois, seu empréstimo acabou e ele foi para o Cruzeiro, contra a sua vontade.

Em 2017, defendeu o Millonarios, da Colômbia. Quando o contrato acabou no fim do ano, os astros se alinharam. O atacante estava livre no mercado, e o Vasco buscava um reforço para o setor. O acerto foi rápido.

- É uma felicidade. O Vasco tem um significado muito grande para mim. Procuro demonstrar em cada treino, em cada possibilidade de vestir a camisa. Vamos aproveitar, curtir e fazer o melhor para deixar o Vasco sempre no topo dos campeonatos.

Confira outros tópicos da entrevista com Riascos:

GloboEsporte.com: O que você leva de experiência daquela Libertadores que disputou com o Tijuana?

Riascos: Foi meu primeiro ano. Nunca havia jogado. A experiência foi muito linda. Espero voltar a viver, com coisas positivas. Lembro dos gols. Sempre foi um sonho. Quando fiz meu primeiro gol, acho que contra o Palmeiras... Lembram muito do pênalti, mas eu fiz gols pelo Tijuana. Não tive uma experiência ruim. Agora com o Vasco é esperar que tudo saia muito melhor.

Em que posição você se vê jogando neste Vasco?

Acho que cheguei aqui como centroavante, é a posição que acho que vou jogar. Temos jogadores muito rápidos pelos lados, para fazer cruzamentos. Acho que minha posição agora é centroavante.

Como foi a recepção no elenco? Conhecia muitos deles?

Conhecia gente da base, Henrique, Evander, Caio. Nenê foi embora, mas todos me receberam de braços abertos. Fiquei muito feliz.

O que achou da saída do Nenê?

É normal. Um cara que gostava muito dele. Sempre estava brincando com todo mundo, ficou quase dois anos no Vasco. O carinho era muito grande. Mas é a vida. Futebol é assim.

Vai manter aquela sua comemoração clássica da cobrinha?

Sempre. Me conheceram por essa comemoração, sempre vou fazer. Mas depois qualquer coisa pode sair.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 09/02/2018, às 09:43

Dinamite se emociona com retorno a São Januário: 'Minha casa'

Ídolo e ex-presidente do clube voltou ao estádio convidado pelo atual mandatário Alexandre Campello após três anos afastado na gestão Eurico Miranda

(Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Vasco direto no seu Messenger.

Roberto Dinamite é o maior ídolo da história do Vasco. O ex-atacante marcou 644 gols em 955 jogos com a camisa Cruz-Maltina e foi presidente do clube por seis anos. Após três anos sem pisar em São Januário, Dinamite retornou ao local convidado pelo atual mandatário Alexandre Campello e se emocionou com o carinho dos torcedores.



- São Januário sempre foi a minha casa. Eu comecei lá com 14 anos, parei com 38 e depois fui presidente do clube. Não tenho grupo A, B ou C na política do clube. O Vasco é maior e está acima de tudo isso. Não fui nos últimos anos porque nunca tinha sido convidado. O atual presidente me convidou, o Campello trabalhou comigo e não tenho problema nenhum com ele - disse Dinamite, ao LANCE!, antes de completar:

- Foi muito legal retornar a São Januário. O torcedor me recebeu bem. Eu me emocionei, fiquei muito feliz. Pode parecer simples, mas esse convite me fez muito bem.

No rápido papo com a reportagem, Dinamite evita o assunto política do clube. Antes mesmo de ser questionado sobre o assunto, Roberto já deixou clara sua posição:



- No que eu puder ajudar, eu vou ajudar. Posso garantir que não vou atrapalhar e creio que se todos que estão envolvidos pensarem assim, vai dar certo. Torço para a atual diretoria, o Vasco e a sua torcida merecem dias melhores.

ELOGIOS A PAULINHO E EVANDER E PEDIDO POR REFORÇOS

Dois jogadores do atual elenco vascaíno foram destacos por Dinamite: os jovens Paulinho e Evander. O bom desempenho dos meninos que vieram da base fez Roberto lembrar do tempo em que trabalhou com alguns deles enquanto presidente:

- O Paulinho está aí marcando história como o jogador mais novo da história do Vasco a marcar na Libertadores. O Evander teve paciência para esperar o momento dele de brilhar. É muito legal ver essa molecada brilhando, 90% deles estiveram com a gente na base, isso mostra que o trabalho foi bem feito.

Sobre o time atual na Libertadores, Roberto manteve os elogios para o trabalho do técnico Zé Ricardo, mas ressaltou que as próximas fases serão muito complicadas e que o atual elenco precisa de reforços.

- A expectativa é boa. Temos que pensar grande, os adversários dessa fase preliminar não são do mesmo nível que o Vasco pode encarar lá na frente, mas o time está bem, o trabalho do Zé Ricardo é excelente. A garotada está dando conta do recado. Acho que mais pra frente é necessário que venham reforços, mas os meninos estão muito bem - finalizou.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!