Publicada em 30/01/2018, às 14:40

"Henrique Dourado não é uma contratação certeira", afirma jornalista

Atacante foi o maior goleador do Brasil na temporada 2017, com 32 gols, 18 deles marcados no Brasileiro, competição na qual foi o artilheiro junto com Jô, do Corinthians

Atacante Henrique Dourado está perto de ser anunciado pelo Flamengo (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Flamengo direto no seu Messenger.

A possível venda de Felipe Vizeu para o futebol italiano (aliada à quase certa chegada de Henrique Dourado ao Flamengo) levanta a discussão. A postura da diretoria rubro-negra em negociar uma jovem promessa e adquirir um atleta de 28 anos, que não apresentou uma sequência expressiva atuando por outras equipes, é correta? Na opinião do jornalista Alexandre Alliatti, do GloboEsporte.com, na política do futebol não é muito lógico vender um jogador promissor e mais jovem do que o que está sendo contratado. Embora reconheça que Dourado esteja num patamar superior ao de Vizeu, ele fez apenas uma grande temporada, a do ano passado.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





- Ele fez uma temporada excepcional, mas não é um jogador de cinco grandes temporadas. Até porque se fosse não estaria mais aqui no Brasil. O Henrique Dourado não é uma contratação certeira, não é uma contratação definitiva. É menos aposta para uma Libertadores que um menino como o Vizeu. Mesmo assim tem um caráter de aposta, pois teve desempenhos medianos para bons ou para ruins em alguns momentos da carreira, mas no ano passado teve uma temporada excepcional. No histórico do futebol brasileiro, vários jogadores tiveram temporadas excepcionais e depois não confirmaram - afirmou Alliatti durante a sua participação no programa "Redação SporTV".

Segundo o editor de esportes dos jornais O Globo/Extra, Márvio dos Anjos, quando um clube vende os seus jovens jogadores, sempre paira a dúvida se era o momento certo. Mas como Guerrero continua suspenso por doping, ele entende a posição da diretoria.

- O Flamengo é um clube que precisa de soluções rápidas, e o Vizeu ainda precisaria de um pouco mais de evolução, pouco mais de tempo. Mas como a situação da saída do Guerrero abre um clarão para um time que vai disputar a Libertadores e precisa de mais experiência, dá para entender a posição da diretoria do Flamengo.

Apesar de não considerar Dourado um atacante indiscutível como Romário e Ronaldo Fenômeno, a radialista Camila Carelli considera que no pensamento da diretoria rubro-negra as duas negociações não estão relacionadas.

- O Flamengo já vinha caminhando para uma negociação do Vizeu por ser um jogador jovem do clube. Aquelas negociações que estão na folha financeira. Tem que vender dois jogadores por ano para fechar a folha do clube. Ao mesmo tempo, o Flamengo precisa de um centroavante, que se discute se é o Vizeu ou ele ainda não está pronto. No caso do Vizeu, acho que o clube optou pelo benefício financeiro, enquanto para o benefício técnico, de qualidade, a gente vai ao mercado. A grande discussão é se o atacante do Flamengo para a Libertadores, enquanto o Guerrero não tem condição de jogo, é o Henrique Dourado, que a gente não sabe se vai ter uma temporada como a última.

O apresentador Carlos Cereto lembrou a enorme necessidade de centroavantes que alguns clubes brasileiros como Flamengo, Corinthians, Grêmio e até mesmo pela Seleção mostram, e mesmo assim a função não se renova.

- O Cruzeiro vai desembolsar R$ 10 milhões ao Atlético-MG pelo Fred, um jogador que já está caminhando para o final de carreira.

Na visão de Márvio dos Anjos, o fato de o Corinthians cogitar o próprio Henrique Dourado para substituir Jô atraiu a atenção de outros clubes, mostrando como alguns movimentos de mercado fazem os jogadores se tornarem mais valiosos.

- Os clubes só confiam em quem já tem uma folha de serviço bem apresentada. O atacante vai ter que aparecer e fazer muito gol por time pequeno até ser visto como solução para clube grande.

Conteúdo publicado originalmente no site Sportv

Publicada em 22/02/2018, às 18:56

Em fase de goleador, Vinícius Júnior quer mais quando for solicitado

Meia-atacante do Flamengo é o artilheiro do time no Carioca - e no ano - com quatro gols assinalados, sendo três nos últimos três jogos

(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Flamengo direto no seu Messenger.

A fase de Vinícius Júnior é impressionante com a camisa do Flamengo. Além de ser uma ótima opção em todos os jogos que entra, o camisa 20 ainda tem aproveitado bem as chances para marcar gols. Não à toa, é o artilheiro da equipe na temporada, com quatro gols feitos e um anulado de forma errada (no confronto diante do Bangu, na Ilha).



Nesta quarta-feira, diante do Madureira, mais uma vez o garoto entrou e fez um gol. Foram três nos últimos três jogos, todos vindo do banco de reservas.

Apenas contra a Cabofriense o xodó rubro-negro começou como titular e deixou sua marca. Independente disso, ele quer continuar na mesma batida.

- Claro que pode (continuar a rotina de entrar no segundo tempo e fazer o gol). Estou feliz com mais um gol por entrar e ajudar o Flamengo. O time começou muito bem e entrei para ajudar com mais um gol - afirmou a joia, que já está negociado com o Real Madrid desde a última temporada.

No mês de junho, Vinícius completará 18 anos e viajará para a Europa para assinar o vínculo com o clube espanhol, que deve ser de cinco temporadas.



Então, será definido se o atacante já fica com o elenco merengue ou se fica no clube da Gávea até o fim de 2018. Em recentes entrevistas, o jovem manifestou o desejo de seguir vestindo a camisa do Rubro-Negro por mais tempo.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!