Publicada em 29/01/2018, às 16:46

Justiça condena organizada do SP a pagar R$ 169 mil por briga na Copinha de 2016

Ação no valor total de R$ 5,1 milhões é movida pela Prefeitura de Mogi das Cruzes contra a Torcida Independente e o São Paulo. Clube foi absolvido, e município diz que irá recorrer da decisão

Briga ocorreu no intervalo de São Paulo x Rondonópolis (Foto: Vitor Geron)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

A Justiça condenou a Torcida Independente ao pagamento de cerca de R$ 169 mil pela briga ocorrida na Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2016, no jogo entre São Paulo e Rondonópolis, pelas oitavas de final daquela edição. Na ocasião, torcedores uniformizados do Tricolor entraram em confronto com a Guarda Municipal de Mogi das Cruzes e a Polícia Militar e causaram danos ao estádio Francisco Ribeiro Nogueira, o Nogueirão.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





A ação, que tem um valor total de R$ 5,1 milhões, é movida pela Prefeitura de Mogi contra a Independente e o São Paulo. O município julga que o clube também ser culpado pelo ocorrido em virtude de uma entrevista do presidente Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, na qual ele admite o financiamento das torcidas.

A decisão, tomada pelo juiz da 7º Vara Cível de Mogi das Cruzes, Robson Barbosa Lima, condena a Independente e absolve o São Paulo. A Prefeitura disse que irá recorrer dessa decisão junto ao Tribunal de Justiça.

Do valor cobrado pela Prefeitura à Independente, R$ 100 mil dizem respeito a danos morais coletivos, enquanto R$ 68.176,67 são referentes aos estragos causados no estádio Nogueirão, que teve catracas, vidros da bilheteria, corrimões das arquibancadas, lixeiras e parte do alambrado danificados durante a confusão.

A reportagem do GloboEsporte.com está tentando entrar em contato com o advogado que representa a Torcida Independente e irá atualizar esta nota assim que obtiver um posicionamento.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 09/02/2018, às 11:11

Dorival pode atingir marca que foi batida pela última vez por Muricy Ramalho no São Paulo

Caso vença o duelo da próxima quarta-feira, contra o CSA, pela Copa do brasil, técnico alcançará uma marca inatingível desde março de 2015

(Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Pela segunda vez, Dorival Jr está próximo de quebrar um longo jejum no comando do São Paulo desde que chegou ao Morumbi. Vindo de três vitórias consecutivas, o treinador, caso vença o duelo da próxima quarta-feira, contra o CSA, pela Copa do brasil, alcançará uma marca inatingível desde março de 2015, quando Muricy Ramalho ainda estava à frente do Tricolor.



Na época, o São Paulo acabou superando o São Bento, Ponte Preta, San Lorenzo, este pela Libertadores, e Marília, somando quatro vitórias consecutivas. Ainda assim, não conseguiu alçar voos altos na temporada e teve de se contentar com mais um ano sem qualquer título conquistado.

Em 2017, já sob o comando de Dorival Jr, o São Paulo esteve muito próximo de vencer quatro jogos de maneira consecutiva. Foi na reta final do Campeonato Brasileiro. Depois de superar Flamengo, Santos e Atlético-GO, bastava ao Tricolor levar a melhor sobre a Chapecoense, no Pacaembu, para acabar com o jejum, no entanto, o time catarinense conseguiu sair de campo com um empate em 2 a 2.

Vindo de triunfos sobre Madureira, Botafogo-SP e Bragantino, Dorival Jr, ainda assim, tenta se livrar de uma vez por todas da grande pressão que se instalou no clube neste início de temporada. Para isso, o comandante são-paulino trabalhará duro neste Carnaval para que sua equipe, enfim, chegue à quarta vitória consecutiva. Mais do que o jejum, o resultado é de extrema importância pelo fato de o próximo jogo da equipe ser válido pela segunda fase da Copa do Brasil, contra o CSA, de Alagoas.



Conteúdo publicado originalmente no site Fox Sports