Publicada em 29/01/2018, às 12:08

Inter inicia jogadas com bola no chão, mas marca sete dos 8 gols no ano pelo alto

Time reserva anota todos os seus tentos por cima, e Colorado usa força aérea para se manter no topo

(Foto: Inter, DVG)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Internacional direto no seu Messenger.

Desde os primeiros trabalhos em pré-temporada, Odair Hellmann destina boa parte de seu foco no dia a dia de treinamentos dentro de campo a fazer o Inter dar início às jogadas e a progredir com a bola no chão. Ainda em processo de criação de conceitos, a equipe do Inter dá mostra progressiva de que assimila as orientações do treinador a cada partida. Em contrapartida, o Colorado concentra os gols em 2018 em lances que têm origem pelo alto.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





A vitória por 3 a 0 sobre o Avenida, neste sábado, no Beira-Rio, pela 4ª rodada do Gauchão, é exemplo nítido dessa "tendência", com os três gols anotados em bolas lançadas à área por elevação, seja em cruzamentos, escanteios ou lançamentos. Ao todo, a equipe marcou oito gols na temporada, dos quais sete, a partir da bola aérea – ou seja, 87,5% deles.

A única exceção é justamente o primeiro gol, marcado por William Pottker na estreia, contra o Veranópolis, após passe de Rodrigo Dourado, seguido de arrancada do camisa 99. A equipe reserva, aliás, anotou todos os seus seis gols pelo alto – e cinco deles, de cabeça.

Contra o Novo Hamburgo, em um gramado castigado pela chuva no Estádio do Vale, Thales e Danilo Silva aproveitaram cobranças de escanteio de Nico López e Edenílson para subir de cabeça e marcar. O uruguaio completou a vitória por 3 a 0 também com uma cabeçada, após cruzamento de Pottker, da direita.

Neste sábado, Danilo Silva voltou a aparecer bem de cabeça para abrir o placar, após escanteio de Edenílson. Depois, Roger recebeu cruzamento de Patrick e cabeceou para ampliar o marcador. O centroavante também apareceu na bola aérea no terceiro gol, mas Rodrigo espalmou e o fez empurrar para as redes com o pé direito, no rebote.

Há ainda o gol de William Pottker contra o Caxias, construído numa jogada bem trabalhada pelo centro. O lance inicia com D'Alessandro lançando Leandro Damião por elevação dentro da área. O centroavante escora de cabeça para o camisa 99 mandar de primeira de pé esquerdo.

Após a vitória sobre o Avenida, o técnico Odair Hellmann falou sobre as variações de jogadas apresentadas por sua equipe nos primeiros quatro compromissos do ano. De acordo com o treinador, o Inter tem encontrado adversários que jogam retrancadas. Sem espaço, o Colorado até tenta construções com infiltrações, pelo centro. Mas encontra mais brechas pelos lados, em cruzamentos e bolas aéreas.

Trata-se de algo assimilado com naturalidade e até trabalhado pela comissão técnica. Um estudo foi feito pelo departamento de análise de desempenho e diagnosticou que a maioria dos gols do Gauchão saiu em jogadas de bola aérea. Neste sábado, por exemplo, o gol de Danilo Silva, de cabeça, surgiu de uma cobrança de escanteio aberta, treinada ao longo da semana.

– Quando jogamos com adversários que têm o bloco bem baixo, é claro que temos de ter paciência para construir e rodar a bola. Mas essa paciência não pode ser lenta, o que faz o adversário encaixar a marcação. Quando fecharem os lados, precisamos ter as oportunidades pelo meio. Contra o Caxias o gol foi por dentro. Essa alternância está dentro do processo de jogo a jogo, é só o 2º jogo desta equipe, é um processo natural. O que eu não gosto, e procuro não treinar, é cruzar por cruzar. Eu gosto de cruzamento. Temos dois ótimos centroavantes, mas tem de ser bom o cruzamento – afirma o técnico Odair Hellmann.

O elenco colorado se reapresenta para trabalhos já neste domingo. Ao passo que dorme na vice-liderança do Gauchão, o Inter dirige seu foco à Copa do Brasil. O Colorado encara o Boavista, no Estádio Olímpico de Cascavel já na próxima quarta-feira, às 19h30, em jogo única pela primeira fase da competição.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 23/02/2018, às 18:36

Inter vai com reservas e Wellington Silva como atração contra o São Luiz

(Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Internacional direto no seu Messenger.

O Internacional usará time reserva na próxima rodada do Gauchão. Contra o São Luiz, no domingo, o time será suplente por conta do jogo contra o Cianorte, na próxima quarta-feira, pela Copa do Brasil. Wellington Silva será atração.



Recuperado de uma lesão no púbis, o ex-Fluminense começará como titular pela primeira vez. Até então ele apenas entrou durante as partidas. E pode ter chance na quarta, já que Nico López está suspenso por conta da expulsão diante do Remo.

A opção de usar reservas também leva em conta a longa viagem do Pará ao Rio Grande do Sul após o duelo da última quarta. Portanto, os titulares precisam de descanso.

O provável time do Internacional tem Marcelo Lomba (único titular); Ruan, Rodrigo Moledo, Thales e Uendel; Charles, Gabriel Dias, Juan Alano, Camilo e Wellington Silva; Roger.



Inter e São Luiz jogam no domingo às 17h (de Brasília) no estádio do Vale, em Novo Hamburgo.

Conteúdo publicado originalmente no site UOL Esporte