Publicada em 28/01/2018, às 16:55

A volta de Lugano ao São Paulo: veja fotos do agora dirigente no vestiário

Ídolo se une aos tricolores no clássico contra o Corinthians, sábado, no Pacaembu

Lugano, Raí e Ricardo Rocha no São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Lugano voltou ao São Paulo, agora na função de dirigente. O uruguaio se juntou ao elenco pela primeira vez no clássico contra o Corinthians, no último sábado, no Pacaembu.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





O ídolo acompanhou a delegação desde o CT da Barra Funda até o Pacaembu, onde o Tricolor perdeu para o rival por 2 a 1. Lugano viu o jogo dos vestiários do estádio.

O uruguaio deverá ser apresentado nos próximos dias. Em seu retorno ao Tricolor, Lugano não ficará restrito ao futebol. O clube pretende que o ídolo o represente em várias esferas. No futebol sul-americano, por exemplo, o ex-zagueiro goza de prestígio em entidades como a Conmebol. Capitão da seleção uruguaia por quase uma década, ele poderá transitar nesses meios.

Lugano e Rodrigo Caio no São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)



Lugano e Brenner no vestiário do São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)



Lugano participa da preleção do clássico (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)



Lugano conversa com jogadores do São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)



Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 23/02/2018, às 13:59

Crônicas do Morumbi: Jardine, o ponto futuro de Dorival no São Paulo

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Dorival não caiu de fato, mas ele ainda comanda a equipe? Segue mantido único e exclusivamente pela posição de Raí, que acredita em uma evolução do trabalho. Leco queria a demissão, no entanto, perder o apoio de Raí pesou para recuar e proporcionar uma sobrevida a Dorival.



A manutenção do técnico pode ser analisada por dois ângulos opostos: uma seria pela honra, o apoio de Raí; outra, pela situação humilhante, com a permanência vinculada ao bom resultado e desempenho na próxima rodada.

Impossível mensurar até que ponto Raí tem real convicção no trabalho de Dorival. A impressão pairante é que o ídolo tricolor segurou Dorival para não deixar a imagem que rapidamente cedeu à pressão das arquibancadas.

Enquanto isso, as luzes dos corredores do Morumbi seguem se apagando à medida em que Dorival caminha. Os refletores miram Jardine, que deverá ser promovido a auxiliar técnico do time principal.



A ascensão de Jardine pela diretoria instaurará uma questão freudiana para Dorival resolver: Além de prazo para mostrar resultado, Dorival aceitará o rebaixamento de seu filho do cargo para ceder espaço ao multicampeão da base?

Como um dia Cláudio Coutinho denominou o overlapping como a possibilidade de se fazer uma jogada sem a bola; nos campos políticos dos clubes, também é é possível construir um novo cenário a partir de uma simples movimentação.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!